Fechar
GP1

Política

“Sílvio nos fez perder uma eleição que estava ganha”, diz Samantha Cavalca

Segundo ela, Sílvio Mendes perdeu a eleição porque se fingiu de amigo de Lula e renegou a direita.

A presidente do PL no Piauí, jornalista e apresentadora Samantha Cavalca, conversou com o GP1 nesta sexta-feira (11), depois de publicar um desabafo em suas redes sociais hoje. Segundo ela, o então candidato a governador do Piauí, Sílvio Mendes (União Brasil), foi o único responsável por fazer com que a oposição ganhasse a eleição para o comando do Palácio de Karnak.

“Somos fortes e continuaremos! No Piauí, Sílvio Mendes, nos fez perder uma eleição que estava ganha”, escreveu Samantha Cavalca em seu Twitter na manhã de hoje.Sílvio perdeu a disputa para o governador eleito, Rafael Fonteles (PT-PI), que era apoiado pela base governista.

Foto: Lucas Dias/GP1Samantha Cavalca
Samantha Cavalca

De acordo com a presidente do PL, Sílvio Mendes perdeu a eleição porque se fingiu de amigo de Lula, renegou a direita e acabou sendo derrotado pelos petistas. “Quis se fingir de amigo de Lula, renegou a direita e foi aposentado pelos bandidos”, continuou.


A jornalista disse ainda que agora é momento de ter foco e mirar em recuperar a Prefeitura de Teresina e posteriormente o Governo do Piauí. “É hora de ter foco. Vamos recuperar a Prefeitura de Teresina. E, depois, o Governo do Piauí”, completou a presidente do PL no Piauí.

Candidata a prefeita em 2024

Durante a conversa com o GP1, Cavalca afirmou que está à disposição do povo de Teresina em uma eventual disputa para a Prefeitura de Teresina. “Quem decide não sou eu, é o povo. Mas estou à disposição do povo da minha cidade, que na minha primeira eleição, me presenteou com uma votação mais do que expressiva”, disse a apresentadora, que concorreu a deputada estadual nas eleições desse ano conquistando quase 20 mil votos.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.