GP1

Saúde

Covid: chega ao fim estado de emergência em saúde pública no Brasil

A portaria foi assinada por Marcelo Queiroga no dia 22 de abril, passando a vigorar 30 dias depois.

Chegou oficialmente ao fim, nesse domingo (22), o estado de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (Espin), decretado em função da pandemia da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, no Brasil. A portaria foi assinada pelo ministro Marcelo Queiroga no dia 22 de abril, passando a vigorar depois de 30 dias.

A decisão foi tomada com base no cenário epidemiológico mais enfraquecido e o avanço da campanha de vacinação no país. Segundo o Ministério da Saúde, apesar da medida, nenhuma política pública de saúde será interrompida. "A Pasta dará apoio a estados e municípios em relação à continuidade das ações que compõem o Plano de Contingência Nacional. Mesmo com o fim da ESPIN, o Ministério da Saúde reforça que nenhuma política pública de saúde será interrompida", afirmou.

“Nós temos capacidade de executar todas as políticas públicas de enfrentamento à covid-19, seja numa situação de emergência de saúde nacional seja fora de uma situação de emergência de saúde pública nacional”, afirmou Queiroga na época.

O que muda com o fim da Espin

Mais de 200 regras serão impactadas com o fim do decreto de emergência, dessas, 168 são apenas do Ministério da Saúde, como o controle de entrada e saída de viajantes do país, o lockdown, o uso de máscaras e ainda o distanciamento social. Contudo, o fim da Espin não significa que a pandemia acabou.

Ainda em abril, o Ministério do Trabalho anunciou que o uso de máscaras em locais fechados de trabalho não era mais obrigatório. A medida foi adotada por estados para além dos ambientes trabalhistas.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.