Política

Oposição piauiense trabalha para se fortalecer no pleito de 2018

O PSB, inclusive, conta com o ex-governador Wilson Martins como alternativa para encabeçar a chapa oposicionista numa eventual disputa pelo Governo do Estado.

GERMANA CHAVES

- atualizado

A oposição do Piauí trabalha para ser uma das mais fortes e articuladas dos últimos anos no Estado. No que depender do PSB, PSDB e o PDT, representado pelo deputado estadual, Robert Rios Magalhães, esta meta será alcançada nas próximas eleições.

O PSB, inclusive, conta com o ex-governador Wilson Martins como alternativa para encabeçar a chapa oposicionista numa eventual disputa pelo Governo do Estado. Para o Senado, Robert Rios já tem se apresenta como opção a vaga.

A mesma postura está sendo mantida pelos tucanos. Os líderes da sigla, têm dito que, no momento oportuno, o assunto será debatido com mais profundidade.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Wilson MartinsWilson Martins

Em recente entrevista ao GP1, Robert Rios chegou a demonstrar convicção de que, além dos partidos declaradamente oposicionistas, também terá a adesão do PMDB e PP, ambos membros da base de apoio do governador Wellington Dias (PT).

Quanto ao PMDB, ele conta com contrariedade de nomes importantes que não concordam com a aliança com o PT, a exemplo do presidente do Conselho Nacional do Sesi e ex-ministro dos Transportes, João Henrique de Almeida Sousa e da deputada estadual, Juliana Falcão.

No caso do PP, Robert lembrou do descontentamento do senador Ciro Nogueira com a decisão de Wellington Dias em deixar a secretaria de Estado da Saúde, com o PT e com o PMDB. O problema foi que esta definição ocorreu depois que várias lideranças davam como certa a indicação de um progressista para gerir a pasta.