Blog Opinião
GP1

Sem combate à corrupção não haverá inclusão social


 Em entrevista à Radio Metrópole AM, de São José do Rio Preto hoje (19), a presidente Dilma Rousseff disse: “O objetivo do meu governo não é criar nenhum problema em relação a esse ou àquele segmento. Agora, onde houver problema de corrupção, somos obrigados a tomar posição. Não faço disso o objetivo central do meu governo, o objetivo central é buscar a inclusão social".

A presidente Dilma está mergulhada num mar de confusões, herdado do governo anterior. E começou a dar sinais de descontrole emocional ao afirmar que o seu governo não tem como compromisso central combater a corrupção.

Pois é justamente a corrupção política da locupletação com o dinheiro público, disseminada em larga escala na administração federal, uma das causas que tem dificultado a redução das desigualdades sociais.

O dinheiro público que deveria ser canalizado para a reconstrução do país, nas diferentes áreas da vida brasileira, é diuturnamente desviado para o bolso de espertalhões políticos e apaniguados, sem fiscalização, impedindo a busca da inclusão social.

Assim, não vejo coerência no discurso da presidente da República para trabalhar pela inclusão social, se simultaneamente não houver um procedimento sistemático de combate à corrupção nos órgãos públicos. Senão o dinheiro que será liberado para combater as desigualdades sociais continuará sendo desviado.


*Júlio César Cardoso
Bacharel em Direito e servidor federal aposentado


*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.