GP1

Brasil

MTST invade propriedade e acaba expulso por moradores em Minas Gerais

Os invasores chegaram na propriedade privada na última sexta-feira (13) e saíram apenas no domingo (15).

Na madrugada da última sexta-feira (13), cerca de 30 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) invadiram uma propriedade, na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais (MG), mas acabaram sendo expulsos pelos moradores do local.

Segundo a Revista Oeste, as pessoas observaram que o dono da propriedade não estava no local e, por isso, iniciaram um acampamento na área. Dezenas de barracas foram instaladas no terreno com cozinhas improvisadas.

O senhor Halex Athayde, proprietário do local, chegou no terreno na manhã de sábado (14) e se deparou com a situação. Como estava sozinho, ele pediu o apoio de civis, empresários, moradores das redondezas e produtores rurais do município para expulsar os integrantes do MTST.

Cerca de 100 moradores se reuniram para tentar negociar a saída dos invasores com representantes estaduais do movimento, mas não houve acordo.

Os mesmos empresários e produtores rurais voltaram ao terreno na manhã de segunda-feira (16) e solicitaram pacificamente a retirada dos invasores. No local, eles também ouviram dos coordenadores estaduais do MTST, Jairo dos Santos Pereira e Marcia Melo, que procurassem a Justiça e pedissem reintegração de posse.

“Esse pessoal é bem orientado”, observou a advogada e pré-candidata a deputada federal Aline Bastos, que estava no local prestando assessoria jurídica ao proprietário do terreno. “Eles conseguiram recrutar crianças, grávidas e deficientes mentais”, continuou a advogada.

Marilena de Souza é uma das pessoas que invadiu o terreno privado. Segundo a Revista Oeste, ela foi cooptada pelos coordenadores estaduais do movimento e não sabia que a proposta envolvia a invasão de uma propriedade privada. “Eles disseram que haviam recebido um terreno. Trabalho como faxineira três dias por semana, com salário diário de R$ 100. Como não iria me interessar pela oferta?”, disse a faxineira.

“Os coordenadores nos prometeram um terreno próprio”, revelou Carlos Marques, que também participou da invasão. Ele acrescentou ainda que aceitou a proposta porque queria deixar de pagar aluguel.

Durante a invasão, o ex-candidato à Presidência da República e coordenador do MTST, Guilherme Boulos, usou o seu perfil no Twitter para dizer que jagunços estariam na iminência de cometer um massacre contra as famílias instaladas no local.

“Urgente! Jagunços acabaram de bloquear o acesso à ocupação do MTST de Montes Claros (MG) e estão ameaçando as famílias. Cobramos ação imediata do governador Romeu Zema para evitar um massacre!”, escreveu Boulos no twitter.

Halex Athayde reassumiu o controle da propriedade na tarde do domingo 15.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.