GP1

Balsas - Maranhão

Polícia identifica suspeitos de assassinar advogado Jaime no Maranhão

A Justiça do Maranhão decretou a prisão dos suspeitos, mas ambos ainda estão foragidos.

Nesta terça-feira (14), a Justiça do Maranhão decretou a prisão de dois homens identificados como Lyncon Jackson Silva Monteiro e João Vitor dos Santos Feitosa, suspeitos de assassinarem o advogado Jaime Pereira, na cidade de Balsa, Maranhão.

Conforme a Polícia Civil, os dois suspeitos estão foragidos, e um deles, Lyncon Jackson, chegou a ser ouvido pela polícia no último dia 13, após o corpo do advogado ter sido encontrado. Ele, no entanto, negou qualquer envolvimento com o crime, e logo após foi liberado.

Entretanto, a Polícia Civil constatou que o veículo do suspeito era o mesmo registrado pelas câmeras de segurança nas proximidades da casa do advogado, na última sexta-feira, dia 10 de setembro. Ainda segundo a polícia, o outro suspeito, João Victor dos Santos, já possui uma vasta ficha criminal e várias passagens pela polícia. Além disso, a polícia acredita que ele tenha envolvimento com uma facção criminosa que atua dentro e fora de presídios.

Com isso, a Justiça do Maranhão decretou a prisão de ambos, que cumprirão pena pelos crimes de roubo, homicídio e ocultação de cadáver.

Entenda o caso

Foto: Reprodução/FacebookAdvogado Jaime Pereira
Advogado Jaime Pereira

O corpo do advogado Jaime Pereira de Souza, de 33 anos, foi encontrado enrolado em lençóis em um matagal nesta segunda-feira (13) na zona rural de Balsas, interior do Maranhão. Ele estava desaparecido desde a última sexta-feira (10), quando foi visto pela última vez realizando compras no centro da cidade maranhense.

Segundo informações da polícia, a família tentou entrar em contato com o advogado durante toda a sexta-feira, mas o sinal do telefone dava fora de área.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.