Fechar
GP1

Mundo

Talibã proíbe entrada de mulheres em universidades afegãs

Decisão recebeu reprovação da ONU e de países estrangeiros como Reino Unido e Estados Unidos.

O Talibã, através do Ministério do Ensino Superior do Afeganistão, suspendeu nessa terça-feira (20) o acesso às universidades por estudantes do sexo feminino. A decisão recebeu reprovação da Organização das Nações Unidas (ONU), Reino Unido e Estados Unidos.

A decisão foi enviada em uma carta endereçada às universidades públicas e privadas afegãs, enquanto muitos estudantes realizavam exames de final de período, para que estas suspendessem imediatamente o acesso a estudantes do sexo feminino. Nesta quarta-feira (21) estudantes do sexo feminino foram impedidas de entrar os campi das universidades.

“Fomos para a universidade, o Talibã estava no portão e nos disse ‘vocês não têm permissão para entrar na universidade até novo aviso’... todo mundo estava chorando”, contou Shaista, estudante de administração de uma universidade particular de Cabul.


A reprovação de governos estrangeiros dificulta as tentativas do governo do Talibã de obter reconhecimento internacional. “O Talibã não pode esperar ser um membro legítimo da comunidade internacional até que respeite os direitos de todos os afegãos”, declarou o vice-embaixador da ONU, Robert Wood.

O país está sujeito a sanções caso não mude as políticas de educação das mulheres afegãs.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.