Fechar
GP1

Mundo

Brasileira que teve filhos com terrorista do Hamas tenta deixar Faixa de Gaza

Ela foi casada com Said Sukhan, filho de Abd al-Fattah Dukhan, um dos fundadores do grupo terrorista.

O Ministério das Relações Exteriores tem enfrentado um entrave com a repatriação de uma brasileira que reside na Faixa de Gaza desde o início do conflito em Israel. A mulher em questão tem 41 anos, e é ex-nora de Abd al-Fattah Dukhan, um dos fundadores do Hamas, morto em 2023.

A brasileira foi casada com o filho de um dos fundadores do grupo terrorista, o palestino Said Dukhan, com quem teve sete filhos. Ela busca retornar ao país de origem com os filhos, o que é totalmente repudiado pelo ex-marido.

Foto: Divulgação/FABGrupo de 30 repatriados da Faixa de Gaza chegaram ao Brasil neste sábado (23)
Grupo de 30 repatriados da Faixa de Gaza chegaram ao Brasil neste sábado (23)

Segundo as leis palestinas, o pai tem poder sobre os filhos, dessa forma, a brasileira só pode sair com eles após autorização de Said Dukhan. Mesmo assim, o Itamaraty tenta uma negociação, mas Said se mostra inflexível sobre a decisão de proibir mãe e filhos de saírem da Faixa de Gaza.


Diplomatas que atuam na região têm enfrentado dificuldades na negociação pela limitação de poderes das autoridades, visto que a família está diretamente ligada ao Hamas. A mulher ainda relata que é ameaçada de morte pelo ex-marido, e que odeia o grupo terrorista.

Enquanto a negociação é feita, a brasileira e os filhos recebem doações de remédios e alimentos do Itamaraty.

Não sabia de ligação com o Hamas

Natural de Santa Catarina, durante entrevista à Folha de S. Paulo, a brasileira informou que se casou com Said após chegar na Palestina, em 2005, sem saber do envolvimento do ex-marido com o Hamas.

O casamento durou mais de uma década, período em que ela e os filhos foram vítimas de violência doméstica, e que Said Dukhan teria tentado matá-la.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.