Coronavírus no Piauí

Assis Carvalho: "quem queria eleição em outubro é porque defendia a morte"

O presidente do PT voltar a se posicionar contra a sugestão de prorrogação de mandatos e disse que essa estratégia colide com o que diz a Constituição Brasileira.

Germana Chaves
Teresina
- atualizado

O deputado federal Assis Carvalho, presidente do Diretório do PT do Piauí, comemorou o adiamento das eleições municipais de outubro para 15 e 29 de novembro, primeiro e segundo turnos, respectivamente. Na avaliação do parlamentar, quem era a favor do pleito em outubro, estava “defendo a morte” devido a pandemia do novo coronavírus (covid-19).

“É normal mudar as eleições para o dia 15 de novembro. Eu bati muito nessa tese, não tinha sentido as eleições dia 4 de outubro, defendo a vida, defendo o isolamento. Quem queria eleição dia 04 de outubro é porque defendia a morte”, criticou Assis.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Assis Carvalho Assis Carvalho

O presidente do PT voltar a se posicionar contra a sugestão de prorrogação de mandatos e disse que essa estratégia colide com o que diz a Constituição Brasileira.

“Nós tínhamos que adiar, mas sem prorrogar mandato porque isso quebra a cláusula pétrea da Constituição Brasileira. Defendo a vida, mas sem matar a Constituição Brasileira que seria lógica de prorrogar mandato”, declarou Assis.

“Então nem matar a constituição e nem deixar que o povo morra como está fazendo infelizmente esse genocida [presidente Jair Bolsonaro] que estimulou a quebra do isolamento social e nós estamos pagando agora esse preço alto com a vida dos nossos irmãos e irmãs”, finalizou o petista.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Câmara aprova adiamento das eleições municipais para novembro

Senado Federal aprova adiamento das eleições para 15 e 29 de novembro