Saúde

Bolsonaro revoga decreto que libera parceria com iniciativa privada no SUS

Publicação motivou forte reação contrária; medida autorizava estudos para incluir unidades de saúde em programa de privatizações.

Por  Estadão Conteúdo
- atualizado

O governo Jair Bolsonaro revogou o decreto que libera a concessão de Unidades Básicas de Saúde à iniciativa privada. O decreto, publicado nessa terça-feira, 27, permitia ao Ministério da Economia realizar estudos para a inclusão das unidades no do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República (PPI). Esse é o programa do governo que trata de privatizações, em projetos que incluem desde ferrovias até empresas públicas.

A confirmação sobre a revogação do decreto foi feita pelo próprio presidente nas redes sociais. Na publicação, Bolsonaro disse que "faltam recursos financeiros para conclusão das obras, aquisição de equipamentos e contratação de pessoal". Segundo ele, o "espírito do decreto" revogado era "o término dessas obras, bem como permitir aos usuários buscar a rede privada com despesas pagas pela União". No Brasil, acrescentou Bolsonaro, há mais de 4 mil Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e 168 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) inacabadas.

Em nota divulgada pouco antes do anúncio da revogação do decreto, o Ministério da Economia afirmou nesta quarta-feira, 28, "seguirão sendo 100% gratuitos para a população". De acordo com o texto, a decisão foi tomada após pedido do Ministério da Saúde, com apoio da pasta de Paulo Guedes.

Segundo a Economia, a avaliação da Saúde era de que "a participação privada no setor é importante diante das restrições fiscais e das dificuldades de aperfeiçoar o modelo de governança por meio de contratações tradicionais". A pasta destaca que, atualmente, "há mais de 4 mil UBS com obras inacabadas que, de acordo com o Ministério da Saúde, já consumiram R$ 1,7 bilhão de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS)". Ainda de acordo com a nota, os estudos que o PPI foi autorizado a fazer devem visar a capacidade técnica e qualidade no atendimento ao sistema público de saúde.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Bolsonaro sanciona lei que prorroga incentivos para setor automotivo

Governo Bolsonaro traça metas para elevar desenvolvimento do país até 2031

Entenda o decreto de Bolsonaro que libera estudos sobre parcerias em UBS