Piauí

Capitania dos Portos confirma presença de óleo no Delta do Parnaíba

“Nós temos uma aeronave, que vai fazer o sobrevoo para avaliar a extensão dos danos”, disse o comandante da Capitania dos Portos do Piauí, capitão Benjamim, ao GP1.

Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

A Capitania dos Portos do Piauí confirmou neste sábado (16) a presença de óleo no Delta do Parnaíba, após denúncia de moradores das regiões da Ilha das Canárias e da Ilha dos Poldros – MA. E em razão disso, a Marinha já está com várias equipes responsáveis por iniciar a limpeza das áreas afetadas e avaliar a dimensão do impacto da presença do óleo nessas áreas.

Desde a última quinta-feira (14), o litoral do Piauí voltou a registrar manchas de óleo nas praias de Luís Correia, com maior quantidade na Praia de Atalaia, considerada umas das mais procuradas pelos turistas durante todo o ano e que está imprópria para banho, segundo a Semar.

Em entrevista ao GP1, o comandante da Capitania dos Portos do Piauí, capitão Benjamim Duarte, informou que a Marinha tem realizado o monitoramento das manchas de óleo, desde os primeiros registros no Nordeste, em especial no estado do Piauí.

“Desde o dia 02 de setembro a Marinha vem incrementando as suas ações de monitoramento e fiscalização das praias do nosso litoral piauiense, desde que houve o aparecimento das primeiras manchas no Nordeste brasileiro. Aqui no Piauí, entre os dias 27 e 30 setembro, sete praias foram afetadas e desde o dia 30 de setembro não houve mais o aparecimento de manchas de óleo. Na última quinta-feira (14), em um dos nossos monitoramentos, nós achamos a presença de manchas de óleo na Praia de Atalaia, município de Luís Correia. Tempestivamente, iniciamos a limpeza dessa área, com o apoio da Prefeitura de Luís Correia, e já no primeiro dia realizamos a limpeza de 80kg de óleo. Em seguida, em várias praias foram aparecendo óleo: Pontal, no município de Ilha Grande, Peito de Moça, município de Luís Correia, depois na Praia da Pedra do Sal, município de Parnaíba”, explicou.

Ainda de acordo com o comandante da Capitania dos Portos do Piauí, várias embarcações já foram deslocadas até o Delta do Parnaíba para realizar a limpeza da área afetada e uma aeronave vai sobrevoar a área para avaliar a dimensão do espaço afetado pelo óleo.

“Esse óleo chegou na área do Delta do Parnaíba, pois nós tivemos denúncia de Ilha das Canárias e Ilha dos Poldros, no município de Araioses-MA. A Capitania dos Portos do Piauí e a Capitania dos Portos do Maranhão estão trabalhando em conjunto e a gente encaminhou embarcações que estão fazendo trajeto, pois o acesso é bem difícil e está sendo feito por rios e igarapés. As equipes estão nesse momento fazendo a avaliação de danos e realizando a limpeza dos locais. Nós também temos uma aeronave, que vai fazer o sobrevoo para avaliar a extensão dos danos, assim como nos também teremos a presença de um navio patrulha que fará o patrulhamento, a partir de amanhã, da presença desse óleo no litoral piauiense. Nós estamos trabalhando de maneira pesada durante todo o final de semana com várias instituições” acrescentou.

1.5 tonelada de óleo recolhido

Dados da Marinha dão conta que desde setembro já foi retirada 1.5 tonelada de óleo em sete praias do litoral do estado do Piauí. Somente nos últimos dois dias já foram 910kg na Praia de Atalaia. “Já foram recolhidos mais de 1.515 kg desse material oleoso desde o início das atividades, no dia 02 de setembro. E só para se ter uma ideia, na Praia de Atalaia, nesses dois dias, foram recolhidos 910kg de material oleoso e essa praia foi considerada imprópria pela análise de balneabilidade da Semar, que é quem tem a prerrogativa para isso”, concluiu.

Participam das ações de monitoramento ainda órgãos como Ibama, ICMBio, Semar, Exército Brasileiro, Corpo de Bombeiros e prefeituras municipais.

Confira a nota emitida pelo Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Gabinete de Crise:

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil (MB), Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), informa que, hoje (16), na região do Delta de Parnaíba-PI estão sendo empregados meios navais, aeronavais e terrestres, além de militares da MB, EB, agentes de órgãos estaduais e municipais em ações de limpeza e coleta de vestígios de óleo nas praias da região. A partir de amanhã (17), o Navio-Patrulha (NPa) "Guanabara" reforçará as ações de busca e recolhimento de resíduos oleosos no mar.

Desde o reaparecimento do óleo no litoral do Piauí, observado na última quinta-feira (14), foram recolhidas cerca de uma tonelada de resíduos de óleo. Equipes do Ibama e ICMBio realizam ações de acompanhamento e avaliação dos danos causados na região.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Praia de Atalaia é interditada após aparecimento de manchas de óleo

Tartarugas são encontradas mortas em três praias do Piauí