Teresina - PI

Conselho aprova aumento da tarifa de ônibus para R$ 3,71 em Teresina

A reunião aconteceu, na tarde desta quinta-feira (04), sede do SEMJUV (Secretaria Municipal da Juventude).

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Reunião para reajuste da passagem de ônibus

O Conselho Municipal de Transportes aprovou, nesta quinta-feira (04), reajuste da tarifa de ônibus em Teresina. Ficou acertado que o valor da passagem será de R$ 3,71 e a meia R$ 1,18. A reunião aconteceu na sede do SEMJUV (Secretaria Municipal da Juventude). Foram 12 votos favoráveis ao reajuste, dois contrários e uma abstenção. A decisão final será do prefeito Firmino Filho, que poderá aprovar ou não os valores.

José Borges de Sousa, da Associação do Usuário do Transporte Urbano de Teresina, foi quem se absteve e explicou o motivo: “Eu me abstive porque eu não participei da primeira reunião do conselho e como eu não participei eu não podia vir pra reunião só pra vota. É triste demais, estou revoltado”, declarou.

O presidente do conselho, Carlos Daniel, que também é presidente da STRANS, disse que: "O que foi aprovado ao conselho foi R$ 3,71 pra tarifa inteira e R$ 1,18 para meia-passagem, que sobe pelo critério técnico, o prefeito é quem define o que é que vai ser utilizado. Essa decisão é única e exclusiva do prefeito”, afirmou.

A professora Fabíola Lemos criticou o aumento da passagem: “Você vê a prefeitura dizendo que é prioridade o transporte coletivo, no Plano de Mobilidade Urbana, e o que a gente vê não é isso. As reuniões do Conselho Municipal de Transporte só acontecem nas vésperas de aumentar a tarifa da passagem e isso sem nenhuma explicação, sem nenhum relatório, eles chegam com a planilha e simplesmente o conselho tem que aceitar, como o conselho não aceitou e foram contestados, a forma que o prefeito encontra é colocando o conselho pra se reunir com toda essa segurança na porta”, disparou.

Atualmente a passagem inteira custa R$ 3,30 e a meia R$ 1,05, que estava sem sofrer reajuste há 6 anos. Na quinta-feira (28), manifestantes realizaram ato contra o aumento em frente à sede da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans), localizada na zona sul da capital.

Mais conteúdo sobre: