Teresina - PI

DHPP nega participação de mulher no assassinato de servidor do TJ-PI

De acordo com o coordenador do DHPP, delegado Francisco Costa, Barêtta, conforme o relato da testemunha do crime, apenas dois homens participaram da ação.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

O delegado Francisco Costa, o Barêtta, coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), negou que uma mulher identificada como Maria da Conceição Sena teve participação no latrocínio que tirou a vida do servidor do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), Francisco das Chagas Campelo e Silva, ocorrido na noite desta quarta-feira (23), no bairro Tancredo Neves, zona sudeste de Teresina. A mulher se apresentou à Polícia Civil nesta quinta-feira (29), dizendo ter participado do crime.

De acordo com o delegado Barêtta, conforme o relato da testemunha do crime, apenas dois homens participaram da ação. “Eu vi que essa mulher se apresentou no 22º DP, na Santa Maria, mas no DHPP não se apresentou e a testemunha que estava junto com o rapaz que morreu afirma que eram dois homens”, informou ao GP1.

  • Foto: Divulgação/PC-PIMaria da Conceição SenaMaria da Conceição Sena

Um dos acusados, identificado como Vínicius Alves da Silva, foi preso no bairro Morada Nova, depois que abandonou o carro da vítima, uma Hilux, que foi roubada durante a ação. Com ele foi encontrado um revólver calibre .32, com seis munições.

  • Foto: Divulgação/PM-PISuspeito de participar do assalto que terminou com a morte de Chaguinha CampeloSuspeito de participar do assalto que terminou com a morte de Chaguinha Campelo

Maria da Conceição Sena não teve participação no crime, pois o segundo suspeito foi identificado como Ígor Araújo Sousa, que havia saído da Colônia Agrícola Major César, no mesmo dia no crime. A Polícia Civil ainda segue em diligências para capturá-lo.

Dinâmica do crime

Barêtta ainda explicou que as informações iniciais são de que a vítima teria reagido após os criminosos anunciarem o assalto na noite de quarta-feira. “O rapaz [Francisco Chagas] quando foi abordado, ele estava com um colega em um certo trailer no Tancredo Neves. O colega dele foi dominado, e quando ele viu isso, correu para o carro. A gente não sabe se foi para pegar uma arma ou outra coisa. O outro indivíduo seguiu ele e se esboçou uma luta. Parece que quando ele estava quase dominando o bandido, o outro foi e efetuou disparo. Ele [Francisco Chagas] ainda correu um pouquinho, mas teve outro disparo nas costas e ele não resistiu”, explicou o delegado.

  • Foto: Arquivo Pessoal/DivulgaçãoFrancisco das Chagas Campelo e Silva foi morto durante um assaltoFrancisco das Chagas Campelo e Silva foi morto durante um assalto

Após o crime, os bandidos fugiram levando o veículo Hilux da vítima, mas logo depois o veículo parou de funcionar, pois havia um sensor de travamento de segurança.

Entenda o caso

O analista judiciário do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, identificado como Francisco das Chagas Campelo e Silva, de 54 anos, foi assassinado com dois tiros durante um assalto na noite desta quarta-feira (28), no bairro Tancredo Neves, zona sudeste de Teresina.

Segundo informações do subtenente Fernandes, do 8° Batalhão da Polícia Militar, a guarnição foi acionada por volta de 20h. "Fomos informados que uma pessoa havia sido alvejada durante um assalto. Francisco e um amigo estavam em um trailer, quando foram abordados por dois indivíduos a pé. Eles anunciaram o assalto, dispararam contra Francisco e levaram a Hilux prata da vítima", relatou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Servidor do TJ é assassinado a tiros durante assalto no Tancredo Neves

Suspeito de assassinar servidor do TJ-PI é preso no Morada Nova

Delegado Barêtta explica dinâmica do latrocínio de servidor do TJ-PI

Polícia identifica 2° suspeito de matar servidor do TJ em Teresina