Política

Diretório do PT do Piauí discute ações em defesa de Lula

“A defesa de Lula passa pela criação dos comitês, passa pela organização do dia 24, pela ida a Porto Alegre de alguns, pela manifestação de Teresina (...)", afirmou a senadora Regina Sousa.

Bárbara Rodrigues
Teresina
- atualizado

Encontro Estadual do PT do Piauí

O Diretório Estadual do PT do Piauí realiza, nesta sexta-feira (05) e sábado (06), encontro para discutir as ações que serão feitas em defesa do ex-presidente Lula, que será julgado pelo Tribunal Regional da 4ª Região (TRF4), no dia 24 de janeiro, em Porto Alegre. Lula foi condenado em primeira instância a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso do tríplex do Guarujá. Se a condenação for confirmada pelo TRF4, Lula pode ser impedido de disputar a eleição presidencial.

O presidente estadual do PT e deputado federal, Assis Carvalho, explicou que sempre são realizadas reuniões periódicas e que aproveitaram o momento para discutir as ações em defesa do ex-presidente Lula: "Temos as nossas reuniões periódicas da direção do partido para fazer os planejamentos, dialogar sobre a nossa organização interna, e janeiro sempre é um período da gente começar a pensar no que vamos fazer, isso tudo em um ano de eleição, então é uma rotina, além de uma rotina de planejamento temos um fato específico que é o episódio do dia 24 de janeiro, com o maior líder deste país, que é o Lula, e nós temos que pautar esse assunto e ver como é que o PT vai se comportar diante desse momento político".

"Eu, o Brasil e o mundo que defende a democracia estamos preocupado porque estamos diante de um golpe parlamentar que se aprofunda e que já estava programado, esse ciclo estava marcado desde 2014, de afastar a Dilma e depois inviabilizar a candidatura do Lula, e eles estão apenas cumprindo um calendário que foi programado na época por aqueles que não reconheceram as eleições de 2014”, criticou o deputado.

A senadora Regina Sousa comentou sobre o evento: “A defesa de Lula passa pela criação dos comitês, passa pela organização do dia 24, pela ida a Porto Alegre de alguns, pela manifestação de Teresina então, uma série de atividades que vão acontecer até o dia 24. Quando muita gente vem junto traz muitas ideias, vamos ver quais são as ideias que vamos pôr em prática no Piauí”, explicou.

“A gente quer mostrar que ele [Lula] não está sozinho e que estamos com ele para o que der e vier”, enfatizou.

Ainda de acordo com a senadora, o partido não comenta a possibilidade da confirmação da condenação do ex-presidente: “Nós não discutimos isso porque o Lula é o nosso candidato hoje, o Lula vai ser o protagonista dessa eleição seja em que lugar ele estiver, preso, solto, condenado ou não, candidato ou não, mas ele vai ser o principal personagem desta eleição”, afirmou.

O membro do Movimento Sem Terra (MST), João Luís, afirmou que esse momento de defender os direitos dos trabalhadores. “Essa é a hora da gente se unir, de planejarmos como vamos fazer para defender o companheiro Lula. Somos soldados e devemos defender os direitos da causa trabalhadora”, destacou.