Teresina - PI

Em áudios, presos na Operação Codinomes combinam 'matar 2 por semana'

A Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI), divulgou conversas entre alguns presos na operação Codinome, deflagrada na manhã desta terça (14).

Jeyson Moraes
Teresina
Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

Na manhã desta terça-feira (14), a Secretaria de Segurança Pública do Piauí (SSP-PI) divulgou áudios em que mostram conversas entre presos na Operação Codinome, deflagrada também nesta terça. Nos diálogos, os presos articulam e definem informações sobre homicídios e tráfico de drogas.

Os presos na operação fazem parte de facções dos estados de São Paulo e Maranhão, mais conhecidas como PCC e Bonde dos 40, respectivamente. Em um dos áudios, um dos suspeitos chega a comentar que para entrar na facção, o indivíduo tem que “matar pelo menos dois por semana”.

O mesmo indivíduo pergunta para o outro suspeito se ele “mata bem”, e ele responde que já assassinou duas pessoas, “eu já derrubei dois já”, disse. O indivíduo que perguntou finaliza dizendo que: “É, para entrar no ‘quadro da restrita’, tem que pelo menos matar uns dois por semana”.

Em outra conversa divulgada pela SSP-PI, dois dos presos na operação comentam sobre o tráfico de drogas. “Tem um mano aqui querendo pó, está aqui te esperando”, avisa um dos envolvidos no esquema.

Entenda o caso

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada em Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre) deflagrou no início da manhã desta terça-feira (14), a "Operação Codinomes", nos estados do Piauí, Maranhão e São Paulo com objetivo de prender membros de facções criminosas.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Fábio Abreu, ao todo 26 pessoas foram presas. "Essa operação aconteceu simultaneamente nos estados do Piauí, Maranhão e São Paulo. Conseguimos prender 26 pessoas com envolvimento em facções criminosas especializadas em tráfico de drogas. No Piauí, elas foram presas em Teresina e Demerval Lobão", informou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Depre deflagra operação e prende membros de facções criminosas

Facções ordenavam assassinatos de dentro dos presídios, diz Fábio Abreu