Política

Governadores ameaçam processar Marun por pressão com Previdência

Carlos Marun condicionou a liberação de recursos apoio à Reforma da Previdência.

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Nesta quarta-feira (27), governadores do Nordeste enviaram uma carta ao presidente Michel Temer repudiando a declaração de Carlos Marun, ministro-chefe da Secretaria de Governo. Na última terça-feira (26), Marun admitiu que o governo pressiona gestores estaduais e municipais para a aprovação da Reforma da Previdência.

O esquema funciona como uma troca de favores, onde o parlamentar vota favorável à Reforma da Previdência em troca de liberação de recursos em financiamentos de bancos públicos. Os governadores afirmaram que caso a “ameaça se confirme” a Justiça será acionada. O governador do Piauí, Wellington Dias, também assinou a carta.

  • Foto: Facebook/Carlos MarunCarlos MarunCarlos Marun

“Os governadores do Nordeste vêm manifestar profunda estranheza com declarações atribuídas ao Sr. Carlos Marun, ministro de articulação política. Segundo ele, a prática de atos jurídicos por parte da União seria condicionada a posições políticas dos governadores. Protestamos publicamente contra essa declaração e contra essa possibilidade e não hesitaremos em promover a responsabilidade política e jurídica dos agentes públicos envolvidos, caso a ameaça se confirme”, diz a carta.

Declarações de Marun

“Realmente o governo espera daqueles governadores que têm recursos a serem liberados, financiamentos a serem liberados, como se resto de todos os agentes públicos, reciprocidade no que tange à questão da Previdência”, afirmou o ministro durante uma coletiva de impresa na terça-feira (26).

Na semana passada o Estadão divulgou que Carlos Marun fez um levantamento de todos os pedidos de empréstimos na Caixa Econômica por estados e condicionou a assinatura dos contratos à entrega de votos pelos governadores e prefeitos que podem de alguma forma influenciar deputados.