Salvador - BA

Mestre de capoeira é assassinado após discussão política na Bahia

De acordo com a Secretaria de Segurança da Bahia, o homem estava em um bar quando foi morto por um eleitor de Jair Bolsonaro.

Andressa Martins
Teresina
- atualizado

Após o resultado das eleições, na madrugada desta segunda-feira (8), um mestre de capoeira foi morto com 12 facadas após uma discussão por política em um bar em Salvador, na Bahia. Romualdo Rosário da Costa, de 63 anos, foi morto por um eleitor de Jair Bolsonaro (PSL) após dizer que havia votado em Fernando Haddad (PT).

  • Foto: FacebookRomualdo Rosário da Costa foi morto com 12 facadas por votar no PTRomualdo Rosário da Costa foi morto com 12 facadas por votar no PT

De acordo com a assessoria da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a vítima e o acusado não se conheciam. Romualdo estava no bar quando o autor do crime chegou gritando o nome do candidato à Presidência Jair Bolsonaro, mas se irritou ao ouvir que a turma que ali estava preferia o candidato do PT.

O professor de capoeira foi atingido com 12 facadas nas costas. O primo de Romualdo tentou impedir que acontecesse o homicídio, mas foi ferido e levado ao Hospital Geral do Estado (HGE). O irmão da vítima também estava no bar e presenciou o homicídio.