José de Freitas - PI

Mulher grávida é agredida pelo companheiro em José de Freitas

O delegado Jarbas Lima afirmou ao GP1 que há possibilidade do feto ter morrido.

PRISCILA CALDAS
- atualizado

Beatriz Ferreira da Costa, de 22 anos, grávida de dois meses, foi agredida com uma paulada pelo companheiro, Leandro da Conceição de Oliveira, de 25 anos. O caso aconteceu na noite de terça-feira (20), no bairro Suco de Uva, na cidade de José de Freitas, Centro-Norte do Piauí. O acusado do crime foi preso e autuado em flagrante por violência doméstica ontem (21).

Em entrevista ao GP1, o delegado da Polícia Civil de José de Freitas, Jarbas Lima, informou que esse caso foi atípico, pois a vítima quis inocentar o acusado do crime. “Além dela ‘tá’ grávida, ela tentou defender o bandido, para proteger o companheiro. A vítima acusou o cunhado, irmão do marido dela”, disse.

Segundo a Polícia Civil, o crime aconteceu quando o casal, o cunhado e a concunhada da vítima estavam bebendo em uma residência, então Leandro da Conceição saiu para beber em outro local e Beatriz Ferreira foi atrás dele.

  • Foto: Divulgação/PCLeandro da Conceição de Oliveira preso por violência domésticaLeandro da Conceição de Oliveira preso por violência doméstica

“Eles discutiram, daí ele pegou um pau e bateu nela, que depois foi socorrida. A vítima ainda disse ‘não quero que meu marido seja preso’. Daí fomos atrás do cunhado e uma testemunha apontou o verdadeiro acusado. Depois de algum tempo, ela falou na delegacia quem de fato havia cometido a agressão”, afirmou Jarbas Lima.

Beatriz Ferreira levou quatro pontos no olho, que ficou bastante inchado. A arma usada no crime foi apreendida. Leandro da Conceição foi condenado ao pagamento de fiança. Ele tem que pagar cinco salários mínimos, mas por não ter dinheiro, está preso e à disposição da justiça.

O delegado Jarbas Lima declarou também que há a possibilidade do feto ter morrido. Se isso acontecer, Leandro da Conceição pode ser condenado por aborto. Beatriz Ferreira pode ser indiciada por denunciação caluniosa, pois apontou a autoria do crime a uma pessoa inocente.