Brasil

Rebelião deixa mais de 50 mortos em presídio do Amazonas

Matança começou após fuga de detentos.

Nayrana Meireles
Teresina
- atualizado
  • Foto: DivulgaçãoComplexo Penitenciário Anísio Jobim Complexo Penitenciário Anísio Jobim

Detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) em Manaus tomaram totalmente o presídio desde a tarde deste domingo (01). A rebelião chegou ao fim na manhã desta segunda-feira (02). Segundo o Secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, “entre 50 e 60 pessoas” foram mortas.

O presídio estava tomado pelos bandidos que integram a Família do Norte (FDN), a maior facção do Norte do país. De acordo com informações da Veja, ao menos 300 detentos teriam conseguido fugir e, até o fim da noite, 15 haviam sido recapturados.

Ainda neste domingo (01), houve um confronto com a Polícia Militar (PM), quando policiais tentaram retomar o controle do Compaj. Uma dezena de funcionários foi feita refém, mas todos foram liberados na manhã desta segunda-feira (02). Dentro da unidade, a FDN declarou guerra ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

Sérgio Fontes, disse em entrevista neste domingo (01), que a rebelião foi um massacre.  “Alguns corpos foram jogados para fora das unidades, então existem mortos”, afirmou.

Mais conteúdo sobre: