Teresina - PI

Regina Sousa vai decretar emergência devido a óleo no litoral

Em entrevista à imprensa, a governadora disse que a previsão é que o decreto seja assinado até esta terça-feira (19). Ao todo, três praias do litoral piauiense foram interditadas.

Davi Fernandes
Teresina
Brunno Suênio
Teresina
- atualizado

A governadora em exercício, Regina Sousa (PT), declarou nesta segunda-feira (18), que irá declarar estado de emergência devido as manchas de óleo que atingiram o litoral piauiense e interditaram três praias durante o feriado e chegou até o Delta do Parnaíba.

Em entrevista à imprensa, a governadora disse que a previsão é que o decreto seja assinado até esta terça-feira (19). A medida também está sendo tomada, por causa de uma orientação do ministro de Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto.

“Para decretar tem que mandar para o Governo Federal e a gente tem que estar com todos os dados. Como a gente está sem esses dados ainda, talvez no final da tarde deve chegar, para a gente fazer esse decreto. Não é para alarmar ninguém, é uma precaução e também uma exigência do Governo Federal, que só pode ajudar com mais consistência se tiver o decreto e os pescadores se enquadram nisso, pois eles precisam requerer o seguro-defeso e para isso eles têm que também ter esse decreto. Então eu acho que daqui para amanhã de manhã a gente assina”, disse a governadora em exercício.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Regina SousaRegina Sousa

Regina Sousa ressaltou ainda que as ações dos órgãos estão sendo desenvolvidas como nos demais estados em que houve registro de manchas de óleo, mas defendeu uma resposta científica para o problema que, segundo ela, pode retornar.

“O que tem que ser feito está sendo feito, como foi em todos os estados, limpeza, observação, tem um navio fazendo o trajeto para ver se tem óleo [...] Ontem foi feito um sobrevoo, não viram óleo nas quatro milhas, mas é sempre bom está presente, verificando, monitorando, pois é uma coisa que aparece de repente. A gente achava que não iria chegar aqui e chegou; praias que estavam limpas [e o óleo] está chegando de novo em outros estados. Então é um problema que, do ponto de vista científico, está deixando a desejar, pois não é só limpar e daqui a duas semanas esta vindo de novo. É preciso ter um estudo porque que esse óleo está vindo e de onde ele está vindo e até hoje ninguém deu essa resposta. Ficam atirando para todos os lados, uma hora era a Venezuela, outra hora era um navio grego e eu acho que o Brasil vai sofrer uma retaliação, pois declarou que era um navio e agora se constatou que não era. Então não pode, tem que ter ciência nisso”, pontuou.

  • Foto: Capitania dos Portos do PiauíNavio patrulheiro da Marinha do BrasilNavio patrulheiro da Marinha do Brasil

Alerta de Wellington Dias

No sábado, 17 de novembro, o governador Wellington Dias (PT) divulgou um vídeo por meio das redes sociais alertando a população sobre as praias do Piauí que continuam registrando a chegada de óleo. Ele ainda disse para todos respeitarem as orientações dos órgãos e pessoas competentes sobre o problema.

A Secretária do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Piauí (Semar) fez a interdição de toda a Orla da Praia de Atalaia, além das praias de Peito de Moça e Pedra do Sal. Entretanto, várias pessoas ignoraram o alerta e foram vistas banhando no mar durante o fim de semana.

Jovens, estamos monitorando de perto a situação das nossas praias. Eu sei que muitos querem aproveitar o final de semana nas praias, mas respeitem as orientações dos nossos especialistas. Abraços!

Posted by Wellington Dias on Saturday, November 16, 2019

“Isso realmente é preocupante, eu quero pedir a colaboração das pessoas. Eu sei que causa um trauma, mas é seguir a orientação da área técnica e orientação dos órgãos que tem a responsabilidade. Nem todo mundo gosta do: ‘está impedido de usar essa praia’, mas é por uma razão de saúde e de precaução, e vamos trabalhar para retirar esse desconforto o mais rapidamente possível”, relatou.

O governador aproveitou a oportunidade para agradecer os voluntários e ainda disse que a situação está sendo monitorada, “as nossas equipes, tanto do Piauí como do Maranhão, estão trabalhando em sintonia com o Governo Federal. E eu quero fazer aqui um agradecimento especial aos voluntários, pessoas que estão colaborando, ajudando, trabalhando, se dedicando. Da mesma forma, pesquisadores e pessoas que estão tecnicamente orientando sobre essa chegada de óleo no nosso litoral, na nossa praia”, comentou Wellington.

Mais de 3 toneladas de óleo recolhidas

Desde que foram feitos os primeiros registros de óleo no litoral piauiense, já foi possível retirar mais de 3 toneladas do material no mar. O trabalho foi intensificado no último final de semana, tendo em vista que três praias foram atingidas em cheio, não permitindo que banhistas pudessem entrar no mar, como foi o caso das praias de Atalaia e Peito de Moça, em Luís Correia, e Pedra do Sal, na cidade de Parnaíba, que estão impróprias para banho.

“3.166 kg de material oleoso foram recolhidos das praias de Atalaia, Peito de Moça e Pedra do Sal. Além disso, nós temos mais duas praias afetadas, Coqueiro e Pontal, essas com menos óleo, que dessa vez veio mais pulverizado. Desde o início das ações, no dia 02 de setembro, a Marinha do Brasil tem trabalhado intensamente, incrementando nossas ações de fiscalização. Nós tivemos a primeira leva desse óleo de 27 a 30 de outubro, com sete praias atingidas e agora, na última quinta-feira (14), nós tivemos o aparecimento de óleo em cinco praias, infelizmente, às vésperas de um feriado, sendo que três estão impróprias para banho, além disso, o nosso Delta do Parnaíba foi atingido”, disse o comandante da Capitania dos Portos do Piauí, Benjamin Dante Rodrigues Duarte.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Marinha usa navio patrulheiro para mapear manchas de óleo no Piauí

Wellington Dias faz alerta para população sobre praias com óleo

Manchas de óleo deixam mais praias do Piauí impróprias para banho