Brasil

Ricardo Salles critica 'polarização' sobre avanço do óleo nas praias

Alvo de diversas críticas, governo federal anunciou nesta segunda que vai colocar as Forças Armadas para ajudar no combate ao desastre ambiental.

Por  Estadão Conteúdo

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, falou nesta segunda-feira, 21, sobre uma suposta tentativa de "politização" no debate sobre o avanço da mancha de óleo pelo litoral do Nordeste. Segundo ele, o problema exige um "esforço global" para remover o material das praias. Pressionado após o poluente se espalhar pela costa, o governo federal anunciou nesta segunda que vai colocar as Forças Armadas para ajudar no combate ao desastre ambiental e admitiu que a medida é uma resposta às críticas.

“Os órgãos federais e municipais têm feito um grande trabalho e os voluntários estão prestando um bom serviço para o País. Mas não tem sido boa para o País esta polemização e politização que alguns querem fazer. Nossa decisão é por trabalhar e gerar resultados”, declarou ele, em palestra para empresários no Country Club, em Porto Alegre, onde foi alvo de um pequeno protesto. Na semana passada, o Estado mostrou que o governo federal tem sido alvo de críticas por supostamente não ter acionado o plano de ação previsto para esse tipo de situação.

O ministro rebateu as acusações. “Não há lentidão nenhuma. Aliás, isso foi reconhecido pela própria decisão judicial, nesse final de semana, na qual comprovou que o governo adotou todas as medidas necessárias, desde o início do incidente." Nesta segunda, a Justiça em Pernambuco e em Alagoas determinou liminarmente à União e ao Ibama que adotem “providências imediatas” para contenção e recolhimento do óleo que atinge as praias da região.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ibama libera R$ 40,5 mil para servidores em ação contra óleo no Nordeste

Justiça ordena ‘providências imediatas’ contra avanço do óleo

Exército reforçará combate à mancha de óleo no Nordeste, diz Mourão

Marinha diz que governo vai cobrir custos para limpar óleo no Nordeste