Piauí

Sargento João Paulo diz que está sofrendo "linchamento virtual" após prisão

O sargento da Polícia Militar do Piauí foi preso no último dia 10 em Teresina, sob acusação de violência doméstica.

Thais Guimarães
Teresina
- atualizado

O advogado do sargento João Paulo de Lima Menezes, Otoniel Bisneto, concedeu entrevista ao GP1 na tarde desta sexta-feira (17), esclarecendo fatos a cerca da prisão do policial militar, que foi detido no último dia 10, sob acusação de violência doméstica.

De acordo com Bisneto, desde que foi preso, o sargento da Polícia Militar do Piauí afirmou que tem sofrido uma espécie de “linchamento virtual”, e vem sendo acusado de crimes que não cometeu. “Quando vi que estava ocorrendo uma super exposição, a forma criminosa como estava sendo acusado o sargento e como ganhou uma repercussão maior, a nível nacional, concluí que chegou a hora de falar”, declarou.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Otoniel Bisneto, advogado da UberOtoniel Bisneto

O advogado argumentou que João Paulo está sendo alvo de acusações inverídicas por parte da família da ex-companheira. “A vítima e sua família começaram a tomar o espaço midiático, comecei a coletar prints, ele era colocado como homicida, como feminicida e como foragido. A ex-mulher foi usada em um linchamento virtual, um assassinato de reputação orquestrada pelo irmão dela. Tenho áudios que demonstram que a família dela organizou tudo isso apenas para acabar com a imagem do João Paulo e um post onde ele [o irmão] pede desculpas”, relatou.

  • Foto: Reprodução/WhatsAppPublicação feita pelo irmão da vítimaPublicação feita pelo irmão da vítima

Otoniel Bisneto ressaltou que o sargento não estava foragido. “Se ele é culpado ou inocente, quem vai julgar é o juiz. Ele nunca esteve foragido, eu mesmo o apresentei à polícia, à equipe da delgada Luana Alves. Ele responde a processos criminais, sim, porque em razão de sua conduta profissional é natural que ele responda processos sob as mais diversas acusações”, colocou.

Ainda segundo o advogado, a primeira esposa de João Paulo se comprometeu a depor na Justiça em favor do sargento. “Ela vai depor em juízo em defesa do João, afirmando que ele não é aquele monstro, ela confirmou comigo que o irmão [da vítima] me ligou dizendo que queria acabar com a vida do João Paulo”, narrou.

Entenda o caso

O sargento da Polícia Militar do Piauí, João Paulo de Lima Menezes, foi preso no dia 10 de julho em Teresina, pelo Núcleo de Feminicídio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), sob acusação de agredir a própria esposa no dia 02 de julho.

  • Foto: Brunno Suênio/GP1Sargento Menezes sendo conduzido para o IMLSargento Menezes sendo conduzido

O mandado de prisão preventiva foi cumprido pela equipe da delegada Luana Alves, que preside o inquérito que apura o caso. “Ele não tentou reação e foi encontrado na casa onde ele morava antes de se relacionar com a vítima. Ele estava tranquilo, obedeceu aos comandos e não nos causou nenhum transtorno”, informou a delegada.

NOTÍCIA RELACIONADA

Sargento da PM é preso no Memorare acusado de tentar matar a esposa