Política

Wellington Dias diz que descontos terão prioridade nos precatórios

"Então, nós vamos poder trabalhar numa sistemática que já existe no judiciário, em que quem se apresenta com o maior desconto, a gente prioriza nos pagamentos", afirmou.

Germana Chaves
Teresina
Wanessa Gommes
Teresina
Andressa Martins
Teresina
- atualizado

A Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi) aprovou, nesta terça-feira (16), o pedido de empréstimo de R$ 1,5 bilhão feito pelo governador Wellington Dias (PT). O dinheiro será utilizado para que o Estado pague os precatórios.

Questionado se os precatórios seriam pagos imediatamente, o governador respondeu. “Na verdade, o estado tem uma dívida de R$ 1,5 bilhão em precatórios a ser paga até 2024. O estado toma um financiamento e a dívida continua do mesmo tamanho. Então, nós vamos poder trabalhar numa sistemática que já existe no judiciário, em que quem se apresenta com o maior desconto, a gente prioriza nos pagamentos. Resultado disso é que haverá uma redução dessa dívida e o resultado principal é o valor mensal que vamos pagar. Pagamos algo em torno R$ 15 milhões por mês e vamos, provavelmente, cair para R$ 10 milhões por mês”.

  • Foto: Hélio Alef/GP1Wellington DiasWellington Dias

“Na verdade não é um endividamento, não é para novos investimentos. Qual lado bom? Vamos pagar aos credores do estado, vamos poder quitar e esse dinheiro vai girar na economia. É uma empresa, é uma pessoa jurídica ou física que tornou-se credor por um débito do estado em algum momento da história que vai poder receber o seu dinheiro e isso é importante para fomentar a circulação do dinheiro na economia”, completou.

Segundo o governador, se “alguém tem um milhão a receber do estado e decidiu que aceita receber R$ 80 mil, dando 20% de desconto. Certamente isso vai contar ponto para a ordem dos pagamentos".

Wellington explicou ainda como será esse processo dos pagamentos. “É aberto um sistema transparente, feito com o judiciário e já praticado no Brasil inteiro, tanto na área estadual como federal, e com um bom resultado. Na verdade, o estado está indo para um caminho que outros estados estão indo”.

“É bom lembrar que estamos indo por um caminho que segue uma emenda constitucional que foi aprovada em 2018. Estamos fazendo uma regulamentação no Piauí e provavelmente nós teremos que ir no caminho do Maranhão, pedir uma autorização judicial para poder seguir nesse caminho em que o valor que nós pagamos hoje em precatórios, uma parte dele menor, vamos pagar uma parte desse empréstimo”, declarou.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Alepi aprova Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2020

Comissões da Alepi aprovam empréstimo de R$ 1,5 bilhão para o Governo

Rafael Fonteles anuncia pedido de empréstimo de mais de R$ 1 bilhão