Piauí

Wellington Dias se reúne com presidente do Banco Mundial

Durante o encontro, o chefe do executivo piauiense apresentou o cronograma de metas estabelecidas, junto ao Banco Mundial, referente às obras e aplicações financeiras.

O governador Wellington Dias esteve, nesta quinta-feira (09), reunido com o diretor presidente do Banco Mundial no Brasil, Martin Raisser, na sede da instituição, em Brasília. Durante o encontro, o chefe do executivo piauiense apresentou o cronograma de metas estabelecidas, junto ao Banco Mundial, referente às obras e aplicações financeiras, frutos de contrato de empréstimo realizado pelo Estado junto ao banco.

O contrato, celebrado em 2015, prevê a aplicação de R$ 1,1 bilhão em iniciativas voltadas para as áreas da educação, saúde, infraestrutura e agricultura familiar. “Nós estamos entregando, após as eleições mais de 6 mil títulos de posse de terra para agricultores familiares, além de investimentos na área da saúde. Discutimos também a necessidade de uma sede, uma unidade de saúde, onde possa ser oferecido serviços especializados na região de Picos. A meta é trabalhar na Unidade de Pronto Atendimento que lá existe e onde já temos instalações prontas”, destacou o governador Wellington Dias.

  • Foto: Divulgação/AscomWellington Dias com presidente do Banco Central Wellington Dias com presidente do Banco Central

Na oportunidade, o governador também consultou o Banco Mundial sobre a possibilidade de uma parceria para construção de um programa de previdência exclusivo para servidores. Além disso, Wellington Dias oficializou o convite para que o Banco se faça presente nas comemorações do atingimento do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de 0,7 pelo estado (em uma escala que chega até 1). “O Banco Mundial iniciou os investimentos no Piauí no meu primeiro governo, em 2003. Foi um estudo do Banco Mundial que primeiro revelou o nível de desenvolvimento socioeconômico no estado, que era de 0,4. De lá para cá, nós passámos para 0,5, em 2006, que é um IDH baixo; em 2010 alcançamos o IDH médio de 0,6 e agora 0,7, que é um nível considerado alto. Tudo isso fruto do crescimento na economia, na expectativa de vida e, consequentemente, da qualidade de vida”, pontua o governador.

Encontro com Lewandowski

Em uma segunda pauta, o governador se reuniu com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski. O encontro faz parte de visitas programadas por governadores de 24 estados da federação aos ministros da Suprema Corte. Os chefes dos executivos estaduais reivindicam o desbloqueio de R$ 14 bilhões, bloqueados pela União e que pertencem aos estados. A liberação do montante significaria cerca de R$ 280 milhões a mais nos cofres públicos estaduais.

MAIS NA WEB