GP1

Teresina - Piauí

Delegado Barêtta confirma a morte da estudante Camilla Abreu

O corpo da jovem ainda não foi encontrado. Equipes da Delegacia de Homicídios estão realizando buscas em duas áreas de Teresina, que não foram divulgadas.

O delegado Francisco Costa, o Barêtta, confirmou na manhã desta terça-feira (31) a morte da estudante de direito, Camilla Pereira de Abreu, de 21 anos. A vítima foi vista pela última vez há cinco dias na companhia do namorado, o capitão da Polícia Militar do Piauí, Allisson Wattson da Silva Nascimento, que, segundo o delegado, deve ser ouvido nessa quarta-feira (31).

“Todas as pessoas que estavam ao lado dela vão ser ouvidas, inclusive o capitão. Já oficiamos a Polícia Militar no sentido de que apresentasse ele aqui na delegacia, provavelmente amanhã, vai depender das diligências. Outras pessoas estão sendo ouvidas, pode ter mais de uma pessoa envolvida, pode ter um autor e um coautor”, afirmou Barêtta ao GP1.

Conforme o delegado, a partir do momento que a Delegacia de Homicídios assumiu o caso, os agentes e o delegado Emerson refizeram todo o trajeto que Camilla fez desde o momento que ela acordou na quarta-feira (25), até o momento em que ela desapareceu. “Trabalhamos intensamente e a fase de coleta de indícios está se finalizando. Infelizmente o que podemos dizer para a sociedade piauiense é que a jovem sofreu uma ação criminosa. Ela está morta. Temos uma ocultação de cadáver, tomara que sem a destruição de cadáver. Verificamos tudo que aconteceu naquela madrugada”, confirmou o delegado.

  • Foto: Facebook/Camilla AbreuCamilla AbreuCamilla Abreu

Barêtta informou ao GP1 que equipes da Delegacia de Homicídios estão realizando buscas em duas áreas de Teresina, que não foram divulgadas. “Ela foi morta e ocultada. Estamos com uma equipe fazendo varredura em duas áreas. Há possibilidade de ocultação ou destruição de cadáver, destruição total ou parcial”, declarou.

“A autoria está se desenhando, nós precisamos só fechar a motivação, essa motivação é subjetiva, mas ela é muito importante porque nenhum crime doloso é praticado sem motivo, e também as circunstâncias que ele foi praticado. A gente não pensa no nome de um criminoso, e sim, as circunstâncias é que nos levam ao criminoso”, colocou o delegado.

Investigações

A jovem desapareceu na quarta-feira (25). Ela foi vista pela última vez na zona leste de Teresina, na companhia do namorado, o capitão Allisson Wattson da Silva Nascimento. Ele ficou incomunicável durante dois dias e na sexta reapareceu, afirmando que não sabia da moça.

Um amigo da jovem desaparecida disse ao GP1 na manhã desta segunda-feira (30), que a polícia procurou o namorado de Camilla para periciar o carro, porém, ele disse que havia vendido o veículo na sexta (27) e, ao ser questionado para quem havia vendido o carro, ele disse que não lembrava.

Pai fez apelo ao policial

O pai da jovem, Jean Carlos Rodrigues, muito emocionado, fez um apelo nessa segunda-feira para o policial militar Allisson Wattson. “Queria que ele dissesse onde minha filha tá, o que ele fez com ela, só ele pode dizer. Ele era pra ser o primeiro a comunicar para polícia, era o primeiro para está em campo atrás da namorada. Mas o homem sumiu. Não aparece", desabafou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.