GP1

Beneditinos - Piauí

MPF investiga irregularidades na gestão do ex-prefeito Aarão Cruz

A procuradora explicou que primeiro foi instaurado um procedimento preparatório no ano de 2016, mas com o fim do prazo de investigação decidiu converter o procedimento em inquérito civil.

O Ministério Público Federal (MPF), por meio da procuradora Cynthia Arcoverde Ribeiro Pessoa, instaurou inquérito civil para investigar irregularidades na aplicação de recursos federais na gestão do ex-prefeito de Beneditinos, Aarão Cruz Mendes. Atualmente o prefeito é Jullyvan Mendes, que assumiu em janeiro deste ano.

A procuradora explica que primeiro foi instaurado um procedimento preparatório no ano de 2016, mas com o fim do prazo de investigação decidiu converter o procedimento em inquérito civil no dia 17 de janeiro, para continuar fazendo a apuração das informações.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ministério Público Federal Ministério Público Federal

A investigação acontece após representação formulada pela Secretaria de Educação do Estado do Piauí (Seduc), noticiando a suposta omissão na prestação de contas dos recursos federais repassados para a construção do Ginásio Estadual Luiz Alves de Almeida, localizado no município de Beneditinos, por meio do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), nos anos de 2011 a 2014.

Cynthia explica que é “sua função institucional zelar pelo efetivo respeito dos poderes públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados na Constituição Federal, promovendo as medidas necessárias à sua garantia, bem como promover o inquérito civil e a ação civil pública, para a proteção do patrimônio público e social, da probidade administrativa e de outros interesses difusos e coletivos”.

Outro lado

Procurado pelo GP1 nesta quarta-feira (08), o ex-prefeito Aarão Cruz não foi localizado para comentar o caso.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.