GP1

Teresina - Piauí

ABECS repudia banner do Sindserm que mostra PM's como cachorros

O banner foi produzido para anunciar uma Assembleia Geral Extraordinária, que aconteceu na última quinta-feira (11), dia em que a categoria intitulou como “Dia da Infâmia Municipal”.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados (ABECS), cabo Márcio Vieira, procurou o GP1 na tarde deste sábado (13), para repudiar um banner produzido pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindserm), onde mostra policiais militares como se fossem cachorros, avançando contra trabalhadores.

O banner foi produzido para anunciar uma Assembleia Geral Extraordinária, que aconteceu na última quinta-feira (11), dia em que a categoria intitulou como “Dia da Infâmia Municipal”, como explica o presidente do sindicato Sinésio Soares nas redes sociais. “Em 2002, no dia 11 de abril, a polícia sob ordens do então governador Hugo Napoleão (DEM) massacrou as(os) servidoras(es) municipais, que estavam lutando por direitos, a mando do prefeito Firmino Filho (PSDB) e do então presidente da Câmara Municipal, Fernando Said (PSDB). Em homenagem à heroica resistência, os movimentos sociais de Teresina elegeram esta data como o Dia da Infâmia Municipal”, explica Sinésio.

  • Foto: Montagem/GP1Banner do SindsermBanner do Sindserm

Para o presidente da Abecs, a ação ofendeu todos os policiais militares do estado. “Isso foi um ato que aconteceu em 2002 e que eles, nesse ano, reviveram esse ato e decretaram como dia da infâmia, transformando os policiais militares em cachorros do Governo. Eu quero repudiar esse banner e dizer ao sindicato que nós somos pais de família, trabalhadores e cidadãos iguais a eles. A Polícia Militar é chamada quando a ordem pública é violada, a PM não é chamada para punir cidadão não, ela é chamada para fazer cumprir a lei, e foi o que fizemos e vamos fazer”, afirmou.

Ainda de acordo com o presidente da Abecs, a associação vai entrar na justiça contra o sindicato.“Nós estamos tomando todas as medidas jurídicas para que eles paguem pelo crime que cometeram, porque isso é um crime. Nós vivemos em um país democrático de direito, porém seu direito termina quando começa o do outro e o que eles fizeram não foi só ferir nosso direito, mas transformar uma instituição tão honrosa como a PM, dizendo que somos cachorros do Governo”, informou o cabo Márcio.

  • Foto: Laura Moura/ GP1Cabo Márcio Vieira da Silva, presidente da ABECSCabo Márcio Vieira da Silva, presidente da ABECS

“Estamos convocando todos aqueles que se sentiram ofendidos para vir até a ABECS para entrarmos com uma ação tanto coletiva como individual contra o sindicato. Mas a justiça vai ser feita. O Sidserm foi longe demais, e eles devem pagar pelo que fizeram com todo rigor da lei, não pouparemos esforços”, finalizou.

Outro lado

Procurado, Sinésio Soares, presidente do Sindserm não foi localizado pelo GP1.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.