GP1

Teresina - Piauí

Alça da Ponte Wall Ferraz tem fissura e é parcialmente interditada

A alça é construída em um aterro que fica localizado ao lado de um bueiro.

Marcelo Cardoso/GP1 1 / 10 Fissura em alça da Ponte Wall Ferraz Fissura em alça da Ponte Wall Ferraz
Marcelo Cardoso/GP1 2 / 10 Prefeitura de Teresina interdita parcialmente alça de acesso a Ponte Wall Ferraz Prefeitura de Teresina interdita parcialmente alça de acesso a Ponte Wall Ferraz
Marcelo Cardoso/GP1 3 / 10 Criança observa grande volume de água do Rio Poti Criança observa grande volume de água do Rio Poti
Marcelo Cardoso/GP1 4 / 10 Bueiro alagado ao lado da Ponte Wall Ferraz Bueiro alagado ao lado da Ponte Wall Ferraz
Marcelo Cardoso/GP1 5 / 10 Populares observam Rio Poti na Ponte Wall Ferraz Populares observam Rio Poti na Ponte Wall Ferraz
Marcelo Cardoso/GP1 6 / 10 Trecho interditado pela Prefeitura de Teresina Trecho interditado pela Prefeitura de Teresina
Marcelo Cardoso/GP1 7 / 10 Correntezas do Rio Poti Correntezas do Rio Poti
Marcelo Cardoso/GP1 8 / 10 Ponte Wall Ferraz Ponte Wall Ferraz
Marcelo Cardoso/GP1 9 / 10 Fissura na Avenida Higino Cunha, alça da Ponte Wall Ferraz Fissura na Avenida Higino Cunha, alça da Ponte Wall Ferraz
Marcelo Cardoso/GP1 10 / 10 Grande volume de água no Rio Poti Grande volume de água no Rio Poti

Alça de acesso a Ponte Wall Ferraz foi parcialmente interditada pela Prefeitura de Teresina devido o aparecimento de uma fissura. A alça, que corresponde a Avenida Higino Cunha, é construída em um aterro, que fica localizado ao lado de um bueiro, que se encontra com um grande volume de água.

O GP1 conversou como o engenheiro Daniel Pereira, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Semduh). O mesmo informou que está monitorando o local, para acompanhar a acompanhar a evolução da fissura.

“Existe um aterro em uma alça da ponte, esse aterro está alagado na lateral pelo bueiro e a gente percebeu que começou a se formar uma fissura. Como medida de precaução, a prefeitura isolou a área para fazer o monitoramento dessa fissura e assim que as águas abaixarem nós vamos saber o real impacto que pode ocorrer nesse aterro”, declarou.

O engenheiro ainda afirmou que não há como realizar obras no local devido o grande volume de água do bueiro por causa do Rio Poti. Além disso, ressaltou que a fissura não compromete a estrutura da Ponte Wall Ferraz.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.