GP1

Curimatá - Piauí

Juíza manda soltar ex-prefeito de Curimatá José Arlindo da Silva Filho

A decisão da juíza Rita de Cássia da Silva, da Vara Única da Comarca de Avelino, foi dada ontem (20).

A juíza Rita de Cássia da Silva, da Vara Única da Comarca de Avelino Lopes, concedeu liberdade provisória ao ex-prefeito de Curimatá, José Arlindo da Silva Filho, preso acusado de posse irregular de arma de fogo com sinais de adulteração, na sexta-feira (19). A decisão foi dada nesse sábado (20).

Na mesma decisão a magistrada decidiu pela aplicação de medidas cautelares como: comparecimento mensal a este Juízo, até o dia 05 de cada mês, para que informe as suas atividades; proibição de ausentar-se da comarca por prazo superior a 08 dias sem autorização da Justiça e comparecimento a todos os atos do processo, sempre que for intimado.

Foto: Divulgação/PC-PIJosé Arlindo da Silva Filho
José Arlindo da Silva Filho

Em caso de descumprimento de qualquer uma das medidas cautelares impostas o ex-prefeito terá decretada a sua prisão preventiva.

Entenda o caso

O ex-prefeito José Arlindo da Silva foi preso pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) na última sexta-feira (19). A ação que foi deflagrada com apoio da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais – CORE – teve como objetivo o cumprimento de mandados de busca e apreensão nas cidades de Curimatá, Parnaguá e Luís Eduardo Magalhães-BA, que teve como base as investigações que apuram roubo de carga e receptação na região de Curimatá.

Os policiais realizaram buscas na residência do ex-prefeito, que foi flagrado com uma arma calibre 12 e uma pistola 380, além de munições dos citados calibres. O ex-gestor foi autuado em flagrante delito por posse irregular de arma de fogo com sinais de adulteração.

Um funcionário da Prefeitura de Curimatá, Aristoclides Ribeiro, também foi preso. Ele é acusado de receptação, uso de documentos falsos e adulteração de veículo automotor.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.