GP1

Floriano - Piauí

Fazendeiro é investigado por manter mãe e filha em trabalho escravo no Piauí

A portaria foi assinada pelo procurador Edno Carvalho Moura, no dia 11 de fevereiro.

O Ministério Público do Trabalho no Piauí instaurou inquérito civil para investigar o fazendeiro José Wilson Rufino Leal acusado de manter mãe e filha vivendo em condição análoga à de escravo. A portaria foi assinada pelo procurador Edno Carvalho Moura, no dia 11 de fevereiro.

O procurador destacou no documento que as irregularidades relatadas, se verídicas, têm repercussão coletiva e envolve interesses transindividuais de trabalhadores.

"Considerando por fim, ser o Ministério Público do Trabalho legitimado a propor a ação civil pública no âmbito da Justiça do Trabalho em defesa dos interesses coletivos, quando desrespeitados os direitos sociais constitucionalmente garantidos", diz trecho da portaria.

Ao final, o membro do MPT instaurou inquérito civil para apurar detalhadamente os citados fatos e adotar as providências cabíveis.

Mãe e filha resgatadas

A Polícia Rodoviária Federal no Piauí (PRF-PI) realizou na manhã de 9 de fevereiro o resgate de mãe e filha, de 44 e 21 anos, que foram vítimas de sequestro e viviam em condições análogas à escravidão, em um sítio localizado na BR 343, na zona rural de Floriano.

As vítimas informaram aos policiais que nunca receberam o pagamento prometido pelo proprietário do local, e que trabalharam durante seis anos realizando trabalhos domésticos. As mulheres detalharam ainda que eram proibidas de deixarem o local e que seus patrões as constrangiam com frequência, informando que o banho era exclusividade deles.

Outro lado

O fazendeiro José Wilson Rufino Leal não foi localizado pelo GP1.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.