GP1

Simplício Mendes - PI

TCE mantém bloqueio de R$ 449 mil da Prefeitura de Simplício Mendes

A decisão da conselheira Waltânia Maria Nogueira de Sousa Leal Alvarenga foi dada na última terça (11).

A conselheira Waltânia Maria Nogueira de Sousa Leal Alvarenga, do Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI), decidiu pela manutenção do bloqueio de R$ 449.699,39 da Prefeitura de Simplício Mendes. A decisão foi dada na última terça-feira (11).

De acordo com a decisão, após representação do Ministério Público de Contas, foi determinado o bloqueio dos valores dos precatórios judiciais oriundos do antigo FUNDEF, até que o então gestor Heli de Araújo Moura Fé atendesse às condições definidas pela Decisão Normativa nº 27/2017.

Foto: Lucas Dias/GP1Tribunal de Contas do Estado
Tribunal de Contas do Estado

Consta que após o atendimento por parte do ex-prefeito das exigências estabelecidas pelo Tribunal de Contas, foi autorizada em primeiro momento, a liberação da parcela correspondente aos 40% dos recursos recebidos. Posteriormente, o Plenário deliberou pelo desbloqueio parcial dos recursos correspondentes aos 60% do montante depositado, em quantia correspondente a R$ 5.480.000,00, sendo que a não autorização de desbloqueio da integralidade dos recursos foi em virtude de o plano de aplicação apresentar previsão de despesas com alimentação escolar, a qual não configura gasto com manutenção e desenvolvimento do ensino.

Quando foi autorizada a liberação da quantia de R$ 5.480.000,00 ficou definido que a liberação da parcela remanescente estaria condicionada à apresentação de novo plano de aplicação dos recursos bloqueados.

Após ser citado, o então prefeito apresentou informações e Plano de Ação objetivando a aplicação de recursos no montante de R$ 449.699,39, que se encontram depositados em conta bancária junto à Caixa Econômica Federal.

“Ao proceder à análise dos documentos encaminhados pelo interessado, a Diretoria de Fiscalização Especializada – DFESP1 apresentou relatório informando da necessidade de ajuste na Lei Orçamentária Anual (LOA) 2021, por meio de lei de abertura de crédito especial, tendo em vista que a receita foi arrecada em ano anterior, para que reste cumprido o requisito de comprovação de autorização legislativa para a aplicação dos recursos recebidos, conforme definido no Acórdão nº 2080/2018-Plenário, de 13/12/2018”, diz trecho da decisão.

Por fim, a Divisão Técnica concluiu que, “não tendo o gestor demonstrado o cumprimento das determinações constantes na decisão supratranscrita, opina-se pela manutenção do bloqueio do valor de R$ 449.699,39 dos recursos recebidos a título de precatórios do FUNDEF”.

A conselheira decidiu então pela manutenção do bloqueio da quantia de R$ 449.699,39 depositada na Caixa Econômica Federal, além de determinar a notificação do atual prefeito Márcio José Pinheiro Moura para que apresente autorização legislativa para utilização dos recursos remanescentes oriundos de precatórios do FUNDEF, devendo a LOA 2021 ser ajustada por lei de abertura de crédito especial; plano de aplicação dos recursos, atualizado e que especifique o objeto de destinação desses recursos, nos termos do art. 1º, VII da IN nº 03/2019 do TCE/PI e extrato bancário atualizado da conta onde estão depositados os recursos pendentes de liberação.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.