GP1

Caraúbas do Piauí - Piauí

Prefeito de Caraúbas do Piauí vai pagar R$ 200 mil a escritório de advocacia

A empresa foi contratada para prestação de serviços de assessoria e consultoria tributária.

O prefeito de Caraúbas do Piauí, João Coelho de Santana, mais conhecido como Caburé (PT), vai pagar R$ 200.000,00 a um escritório de advocacia situado na zona leste de Teresina. O contrato foi realizado por meio de inexigibilidade de licitação.

A empresa Vanderlei Moreira Sociedade Individual de Advocacia foi contratada para prestação de serviços de assessoria e consultoria tributária, junto a Secretaria Municipal de Finanças, visando o incremento da receita própria do município.

Foto: Reprodução/Facebook Prefeito Caburé
Prefeito Caburé

De acordo com o contrato assinado pelo prefeito no dia 6 de abril de 2021, deverão ser pagos R$ 200.000,00 (duzentos mil reais) à empresa. “O incremento de receitas próprias do município (ISS, IPTU, ITBI, TAXAS, ITR, ICMS. IPVA) no valor de até R$ 1.000.000.00 (um mílhâo de reais) o contratado receberá de pagamento pelos serviços o valor máximo de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), pagos à proporção de R$ 0,20 (vinte centavos) a cada R$ 1,00 (um real)”, diz o documento.

Para justificar a inexigibilidade de licitação, o prefeito usou como base o art. 25, inciso li, da Lei no 8.666/96 e suas alterações posteriores, vinculado ao termo que dispensou a licitação.

O contrato tem a vigência de 12 meses e o extrato foi publicado no Diário Oficial dos Municípios dessa quinta-feira (20).

Confira o extrato do contrato

Foto: Reprodução/DOMPrefeito de Caraúbas do Piauí vai pagar R$ 200 mil a escritório de advocacia
Prefeito de Caraúbas do Piauí vai pagar R$ 200 mil a escritório de advocacia

Outro lado

Procurado nessa sexta-feira (21), o prefeito Caburé não quis se pronunciar sobre o caso.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.