GP1

Campo Maior - Piauí

Acusado de matar homem a facadas em Campo Maior vai a Júri Popular

O homicídio ocorreu após um velório, no dia 27 de fevereiro de 2021, na zona rural de Campo Maior.

A 2ª Câmara Especializada Criminal do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) manteve a sentença do juiz Muccio Miguel Meira, da 1ª Vara da Comarca de Campo Maior, que pronunciou o acusado Antônio Gentil da Silva, a fim de que seja submetido a júri popular pelo crime de homicídio qualificado.

Segundo consta na denúncia, o acusado assassinou com golpes de faca a vítima Francisco Filho Paz, no dia 27 de fevereiro de 2021, na localidade Santo Isídio, zona rural de Campo Maior. O homicídio ocorreu após a vítima e o acusado saírem do velório de um amigo em comum e posteriormente, irem para casa consumir bebida alcoólica. A partir disso, o crime se desdobrou por motivo fútil, em virtude de uma discussão por causa do punho de uma rede.

Foto: Marcelo Cardoso/GP1Tribunal de Justiça do Piauí
Tribunal de Justiça do Piauí

O réu aguarda o julgamento em liberdade, porém, tendo que cumprir restrições como assinatura de frequência mensal no Fórum; não frequentar bares, boates, ou outros estabelecimentos que vendam bebidas alcoólicas. Bem como, não se afastar da Comarca por mais de oito dias sem autorização judicial; recolher-se à residência diariamente às 20h, incluindo nos finais de semana e feriado. Em caso de descumprimento de tais condições, poderá haver a decretação de nova prisão preventiva.

Entenda o caso

Francisco Filho Paz, de 55 anos, foi assassinado com golpes de faca na região do pescoço. O crime aconteceu após a vítima e o acusado saírem de um velório, por volta de 16h da tarde de sábado, 27 de fevereiro de 2021, próximo ao assentamento Santo Isídio, na zona rural de Campo Maior.

“O acusado e a vítima estavam em um velório e de lá saíram juntos, segundo testemunhas. Logo depois, o corpo da vítima já foi encontrado em uma estrada. Os familiares acionaram a Polícia Militar de Campo Maior, e lá os policiais isolaram o local e iniciaram as diligências”, detalhou o major Etevaldo, do 15° Batalhão da Polícia Militar de Campo Maior.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.