GP1

Piauí

Coronel Scheiwann Lopes abre sindicância contra policial por corrupção

Os valores indevidos também foram pagos aos magistrados aposentados que deverão devolvê-los.

O comandante da Polícia Militar do Piauí, coronel Scheiwann Lopes, determinou a instauração de Conselho de Disciplina contra o cabo Adilson Alves Ferreira acusado de corrupção passiva. A portaria foi publicada no Diário Oficial do Estado dessa quarta-feira (03).

Ao final dos trabalhos, o conselho deverá emitir relatório com parecer conclusivo pela culpabilidade ou não do policial e sua consequente capacidade de permanência ou não na instituição.

O coronel destacou na portaria que por ter sido preso em flagrante durante serviço de abordagem de Trânsito realizado pela CIPTRAN, o cabo violou diversos dispositivos estatutários, deontológicos e legais, dentre eles, proceder de maneira ilibada na vida pública e particular e utilizar-se da condição de militar estadual para obter facilidades pessoais de qualquer natureza ou para encaminhar negócios particulares ou de terceiro.

O processo administrativo deverá ser concluído no prazo de 90 dias, devendo o Conselho solicitar qualquer outro documento ou prova referente ao fato como entender necessário ao processo.

Relembre o caso

O cabo da PM-PI, Adilson Alves Ferreira, foi preso no dia 9 de novembro de 2021 acusado de receber propina de um motociclista durante uma blitz na zona sul de Teresina. Ele teve sua prisão convertida em preventiva pelo juiz Raimundo José de Macau Furtado no dia seguinte.

Um vídeo em que o policial aparece recebendo a suposta propina de um motociclista viralizou nas redes sociais no dia do fato.

No dia 17 de novembro, juiz de direito da 9ª Vara Criminal de Teresina, Raimundo José de Macau Furtado, recebeu denúncia do Ministério Público Militar contra o policial militar pelo crime de corrupção passiva. Na mesma decisão, foi concedida a liberdade do acusado.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.