GP1

Polícia

Acusado de espancar e tentar enforcar mulher é preso no Piauí

Ao GP1, o tenente Ricarte informou que no dia 16 de novembro deste ano, o acusado invadiu uma residência para realizar um roubo, enforcou a vítima até ela desmaiar e a arrastou para um dos qu

Um homem identificado somente pelas iniciais D. W. S. T, foi preso nesta quinta-feira (26) acusado de espancar, tentar enforcar e ainda roubar uma mulher dentro de sua própria casa na cidade de Juazeiro do Piauí, localizada no Norte do estado.

Ao GP1, o comandante da 4ª Companhia do 15º Batalhão da Polícia Militar do Piauí (PM-PI), tenente Ricarte, informou que os policiais tomaram conhecimento da localização do acusado e acionaram a Polícia Civil. Em seguida o acusado foi preso e confessou o crime.

“Após uma investigação mais apurada, as forças policiais identificaram, localizaram e detectaram o suspeito, na qual, já na Delegacia de Polícia Civil, confessou o roubo narrado, bem como um furto na casa de uma enfermeira praticado no dia 13 de novembro deste ano, também na cidade de Juazeiro”, informou.

Entenda o crime

Conforme o tenente Ricarte no dia 16 de novembro deste ano, o acusado invadiu uma residência para realizar um roubo e se deparou com a vítima seminua e sonolenta. Com isso, o acusado tentou enforcar a vítima até ela desmaiar e a arrastou para um dos quartos da residência. A mulher somente acordou no dia seguinte apresentando diversos hematomas.

“Invadiu uma residência para roubar, quando foi surpreendido pela vítima seminua e ainda sonolenta. O suspeito então enforcou a vítima até ela desmaiar. Desacordada, ela ainda foi arrastada para seu quarto e só recobrou os sentidos pela manhã. A vítima acordou repleta de hematomas e escoriações. Este cenário ainda denotou um possível crime sexual. O suspeito fugiu levando um aparelho celular”, destacou.

Exames descartaram estupro

Após o caso chegar ao conhecimento da Polícia Civil do Piauí, foi necessário realizar um exame na vítima para apurar se ocorreu estupro, devido aos hematomas sofridos, porém, a conclusão dos laudos apontou que não ocorreu abuso sexual.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.