GP1

Política

Maria Santana diz que era alvo de perseguição e rompe com Padre Walmir

Maria Santana informou que estava sofrendo perseguição desde que Walmir rompeu com o pré-candidato Araujinho (PT).

A jornalista Maria Santana (MDB) rompeu com o prefeito Padre Walmir Lima e decidiu deixar a diretoria administrativa do Centro Integrado em Especialidades Médicas (CIEM), cargo que exercia desde julho de 2019. Em nota divulgada à imprensa, nesta sexta-feira (21), Maria Santana informou que estava sofrendo perseguição por parte de pessoas muito próximas a Walmir desde o seu rompimento com o pré-candidato Araujinho (PT).

“Além das limitações de trabalho, após a exoneração do Secretário Municipal de Saúde, Dr. Júnior Santos, vivenciei, desde o rompimento do Prefeito Pe. Walmir Lima (PT) com o pré-candidato a Prefeito Araujinho (PT), perseguições por parte de pessoas muito próximas ao prefeito municipal", afirmou a ex-aliada.

Ainda segundo Santana, ela estava sendo vigiada por conta do bom relacionamento que possui com pessoas que já participam ou que ainda participam da gestão de Padre Walmir. "Após esse rompimento ser formalizado, fui vítima de vigilância constante sobre com quem e onde eu estava, tendo em vista, e de conhecimento público, que sempre fui uma pessoa bem relacionada com todos os amigos e amigas que participaram e ou participam da gestão municipal”, contou.

  • Foto: José Maria Barros/GP1 Padre Walmir não abre mão do nome de Maria Santana como viceMaria Santana e Padre Walmir Lima

Maria Santana disse ainda que desde que foi trocado o secretário de Saúde “começaram a faltar insumos, medicação e testes rápidos para covid-19” e que ficou preocupada com a situação do CIEM, que é vinculado à Secretaria Municipal de Saúde.

Filiação ao MDB

Santana criticou o fato de Walmir Lima ter dito à imprensa que ficou surpreso com sua filiação ao MDB e acusou o prefeito de “ter realizado manobras para inviabilizar a construção de uma chapa proporcional para o Partido Liberal”. Atualmente Maria Santana é filiada ao MDB dos deputados Severo Eulálio e Pablo Santos.

“Quanto à minha filiação ao MDB aconteceu pelo fato de, no período de filiações, o próprio prefeito ter realizado manobras para inviabilizar a construção de uma chapa proporcional para o Partido Liberal (PL), partido esse que tinha sido escolhido pelo atual prefeito para colocar as pessoas que ele julgava de “confiança”. Com a inviabilidade do PL, fui convidada pelo deputado do prefeito Severo Eulálio a me filiar ao MDB”, continuou a jornalista na nota.

Maria Santana ainda ressaltou que Padre Walmir “levou meia dúzia dos que ele dizia ‘seus’ para o Partido Comunista (PCdoB) e que ela não foi convidada para fazer parte desse grupo.

“Saio com a sensação de dever cumprido e com a consciência tranquila de que todas as missões as quais fui incumbida na atual gestão executei sempre pensando no melhor para os picoenses”, finalizou a jornalista.

Confira a nota de Maria Santana na íntegra abaixo ou clique aqui

Exoneração

A exoneração de Santana já consta no Diário Oficial dos Municípios desta sexta-feira, mas com efeito retroativo a 14 de agosto. Em seu lugar assumiu Danila Barros Bezerra Leal.

  • Foto: ReproduçãoExoneração da Maria SantanaExoneração da Maria Santana

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Padre Walmir exonera secretários municipais indicados por vereadores do MDB

Padre Walmir rompe politicamente com pré-candidato a prefeito Araujinho

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.