Fechar
GP1

Política

Castro Neto diz que aguarda definições sobre cargos federais no Piauí

"Não tenho nada em mente, mas o ideal seria um órgão que tivesse ação nos municípios", disse.

O deputado federal eleito, Castro Neto (MDB-PI), disse que aguarda as deliberações quanto a distribuição dos cargos federais no Piauí. Ele explicou que a ordem de indicação começa pelos senadores e depois passa para os deputados federais.

O parlamentar eleito evitou falar em preferências, mas explicou que o interesse principal é ter um espaço que o possibilite a dar seguimento as ações de interesse da população piauiense.

Foto: Lucas Dias/GP1Deputado federal eleito Castro Neto
Deputado federal eleito Castro Neto

“Eu não tive conversa específica sobre isso [cargos federais]. O que se tem é que os senadores indicam primeiro e depois os deputados federais. Nossa vontade é indicar para trabalhar pelo Estado. Indicar as pessoas e cobrar os serviços que a população precisa. Quero trabalhar pela população e mostrar serviço. Não tenho nada em mente, mas o ideal seria um órgão que tivesse ação nos municípios para podermos mostrar nosso trabalho. Ouviremos a preferência de cada um para fazermos a escolha”, disse Castro.


Castro Neto ainda se posicionou sobre a decisão do governador eleito Rafael Fonteles (PT-PI) de iniciar as discussões sobre a composição de governo pelos deputados estaduais. O futuro parlamentar citou a os mais de 120 mil votos que obteve nessa eleição.

“Estamos com o governador Rafael, eu sempre digo que ele tem tudo e será o melhor governador do Piauí. O importante, no conjunto, é ter os critérios e esses serem seguidos. Tivemos 127 mil votos e o nosso grupo político nos cobra muitas ações. A gente sente a necessidade de ter uma casa no governo do Estado, um apoio. Mas tenho certeza que vai ser resolvido, não será problema”, finalizou.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.