GP1

Saúde

Ricardo Barros visita HUT e anuncia R$ 94 milhões em recursos

O prefeito Firmino Filho aproveitou o encontro para pedir ajuda ao ministro em relação aos recursos.

Lucas Dias/GP1 Ricardo Barros e Ciro Nogueira Ricardo Barros e Ciro Nogueira
Lucas Dias/GP1 Senador Ciro Nogueira (PP) Senador Ciro Nogueira (PP)
Lucas Dias/GP1 Ricardo Barros Ricardo Barros
Lucas Dias/GP1 Firmino Filho Firmino Filho
Lucas Dias/GP1 Margarete Coelho, vice governadora Margarete Coelho, vice governadora
Lucas Dias/GP1 Deputado Maia Filho Deputado Maia Filho
Lucas Dias/GP1 Gilberto Albuquerque Gilberto Albuquerque
Lucas Dias/GP1 Sílvio Mendes Sílvio Mendes
Lucas Dias/GP1 Hospital de Urgências de Teresina (HUT) Hospital de Urgências de Teresina (HUT)
Lucas Dias/GP1 Iracema Portella Iracema Portella
Lucas Dias/GP1 Francisco Costa Francisco Costa
Ricardo Barros e Ciro Nogueira
Senador Ciro Nogueira (PP)
Ricardo Barros
Firmino Filho
Margarete Coelho, vice governadora
Deputado Maia Filho
Gilberto Albuquerque
Sílvio Mendes
Hospital de Urgências de Teresina (HUT)
Iracema Portella
Francisco Costa

O Ministro de Saúde, Ricardo Barros (PP) visitou na manhã desta segunda-feira (20) o Hospital de Urgências de Teresina (HUT) onde anunciou R$ 94 milhões que serão destinados ao estado do Piauí. Participaram da visita o prefeito Firmino Filho (PSDB), o senador Ciro Nogueira (PP), a vice-governadora Margarete Coelho (PP), o secretário municipal de Saúde, Sílvio Mendes, o secretário estadual de Saúde, Francisco Costa (PT), os deputados Maia Filho (PP) e Iracema Portella (PP), entre outras autoridades.

O prefeito Firmino Filho aproveitou o encontro para pedir ajuda ao ministro em relação ao repasse de recursos. Ele explicou que o Hospital de Urgências atende pessoas de vários municípios e estados, além do fato de que os valores do financiamento não conseguem bancar os atuais gastos e que tudo isso tem prejudicado a situação financeira da prefeitura.

“O HUT custa de R$ 15 a R$ 16 milhões, mas se colocasse para faturar tudo dependendo apenas dos recursos do SUS teríamos só R$ 3 milhões. Isso mostra como esse financiamento é importante e grave. Teresina hoje gasta 34% da sua receita líquida na área da saúde. Quando deixei de ser prefeito pela última vez, Teresina gastava 16%, para se ter noção de como as coisas se alteraram. Isso se deve não só a construção do HUT, mas porque Teresina entrou em vários programas, onde o financiamento ficou fixo e a prefeitura pagou os custos adicionais. Então queremos do Ministério de Saúde é essa solidariedade”, afirmou Firmino.

Já a vice-governador Margarete Coelho aproveitou a oportunidade para pedir a construção de uma nova maternidade em Teresina. “Temos um pleito, que já levamos a vossa excelência que é a construção de uma nova maternidade geral para a cidade de Teresina. A atual não tem mais capacidade de atender. Realizamos um trabalho fantástico, como na área da microcefalia, temos serviços de atendimento a mulheres vítimas de violência, e quando se fala na quantidade dos serviços, parece que temos um prédio enorme, mas todos são abrigados em umas três salas, então precisamos de uma estrutura melhor nesse trabalho tão importante que é trazer a vida um ser humano”, disse.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Ricardo Barros, Ministro de SaúdeRicardo Barros, Ministro de Saúde

O ministro disse entender as dificuldades e anunciou a liberação de recursos que serão provenientes principalmente de emendas parlamentares. “O prefeito Firmino assumiu aqui uma responsabilidade muito grande, onde gasta quase 40% de recursos da prefeitura e é preciso que esses recursos sejam divididos com os municípios e o governo estadual. Por isso estou aqui hoje anunciado R$ 94 milhões que serão empenhados para o Estado do Piauí, sendo que a grande maioria é de emendas parlamentares. Temos R$ 87 milhões de emendas parlamentares e R$ 7 milhões para credenciamento de novos serviços”, explicou.

Sobre a questão do baixo valor repassado pelos financiamentos, o ministro afirmou que a tabela realmente está desatualizada e que tem trabalhado para resolver esse problema e explicou que vai trabalhar para conseguir uma nova maternidade para Teresina.

“As tabelas do financiamento há muito tempo não são corrigidas. Não há previsão orçamentária para isso, mas pedimos que os prefeitos façam a informatização dos atendimentos, pois estamos trabalhando para ter um novo modelo de financiamento. Aí esses problemas de atender gente de outros estados e municípios seriam sanados, pois os recursos seriam para aquele serviço em que é feito o atendimento, então é uma maneira de resolver esse problema do financiamento que não é mais adequado. E a questão da maternidade vamos trabalhar para garantir os recursos”, pontuou.

O diretor do HUT, Gilberto Albuquerque, disse estar confiante que o ministro irá ajudar a resolver o problema financeiro do hospital. “Como hoje o financiamento é bem menor do que a gente gasta, recai sobre a prefeitura de Teresina esse custeio. Ele prometeu rever os custos dos procedimento SUS e esperamos que isso seja feito”, disse o diretor ao GP1.

Ciro Nogueira também acredita que Ricardo Barros irá trabalhar para trazer mais recursos ao Piauí. “Nos últimos quatro anos temos uma parceria muito forte com o prefeito Firmino Filho e com o governador, mas com a sua chegada ao ministério, temos uma expectativa muito grande de melhoria da saúde no nosso estado. Temos essa expectativa muito grande, pois sabemos que esse problema de saúde não é só questão de recursos, mas de gestão”, finalizou.

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.