Piauí - Teresina

Justiça condena assassinos do major Mayron a 33 anos de prisão

A sentença da juíza de direito da 4ª Vara Criminal de Teresina, Junia Maria Feitosa Bezerra Fialho, é desta terça-feira (05).

BRUNNO SUÊNIO

- atualizado

A juíza de direito da 4ª Vara Criminal de Teresina, Junia Maria Feitosa Bezerra Fialho, condenou Iranilson Pereira dos Santos e Wallison Jhonatan Rodrigues de Sousa pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte) contra o ex-comandante do 1º BPM, major Mayron Soares. A sentença é desta terça-feira (05).

Iranilson e Wallison foram condenados, cada um, a 33 anos e 04 meses de reclusão e pagamento de 334 dias-multa, na razão unitária de 1/30 do valor de um salário mínimo vigente à época dos fatos.

  • Foto: Divulgação/PMIranilson e WallisonIranilson e Wallison

Como os dois condenados encontram-se presos desde o dia 21 de março de 2017, perfazendo 05 meses e 15 dias de pena cumprida, a magistrada aplicou o instituto da detração, concluindo-se que aos réus restam cumprir 32 anos, 10 meses e 15 dias.

A juíza determinou ainda que os condenados cumpram as penas na penitenciária Irmão Guido, em Teresina.

Denúncia

Segundo a denúncia, no dia 21 de março de 2017, por volta das 19h30, o major Mayron Moura Soares e seu filho se encontravam em uma parada de ônibus, no bairro Todos os Santos, quando os acusados aproximaram-se em uma moto, cor preta, placa LWE 2844, pilotada por Iranilson e como garupa, Wallison. Chegando próximo às vítimas, Wallison desceu do veículo portando uma arma de fogo calibre 38 e anunciou o assalto.

Após rendê-las, Wallison efetuou um disparo contra o peito do major e subtraiu seu celular efetuando, depois, outro disparo, sem êxito, contra o filho do PM.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Major MayronMajor Mayron

Após o ocorrido, policiais civis e militares iniciaram diligências para localizar os autores. Foi averiguado, então, que Iranilson, que estava utilizando tornozeleira eletrônica, passou pelo local no mesmo horário em que ocorreu o crime.

Chegando à residência de Iranilson, os policiais passaram a questioná-lo. O réu, inicialmente, negou a prática do delito, porém, sua esposa o desmentiu, momento em que Iranilson confessou o crime.

Wallison, autor do disparo, se entregou na Delegacia de Homicídios, em Teresina, na presença de dois advogados. A arma utilizada no crime foi encontrada em uma residência em Altos, junto com o celular do major. Em um vídeo, Iranilson revelou detalhes do crime.


MAIS NA WEB