Blog Opinião
GP1

Mudança na Agespisa


Zózimo Tavares (*)

Imagem: ReproduçãoClique para ampliarJúlio Arcoverde a indicação política(Imagem:Reprodução)Júlio Arcoverde a indicação política
1. A se confirmar o noticiário de ontem, nos portais locais de notícia, o governador Wilson Martins anunciará nos próximos dias mudança na presidência da Agespisa. O engenheiro Marcos Venícius Costa será substituído pelo presidente da executiva do PP de Teresina, Júlio Arcoverde.

A indicação é do deputado federal e senador eleito Ciro Nogueira, presidente regional do PP. A presidência da Agespisa seria o quinhão do seu partido no governo pela sua adesão à candidatura de Wilson Martins, no segundo turno da eleição. De acordo ainda com o noticiário, a sabatina de Júlio Arcoverde na Assembleia Legislativa ocorrerá na próxima semana.

O PP ficou fora do primeiro escalão do governador Wilson Martins, a exemplo do PTB. No primeiro turno, os dois partidos apoiaram a candidatura do senador João Vicente Claudino ao governo. No segundo turno, porém, graças a uma articulação feita pelo senador eleito Ciro Nogueira, o seu partido retornou para os braços do governo.

A indicação do novo presidente da Agespisa faz parte, portanto, dos entendimentos para acomodar o PP na estrutura administrativa do governo. Desde que Wilson começou a montar sua nova equipe, o partido sempre buscou um órgão relacionado às ações do Ministério das Cidades. A Agespisa atende plenamente ao critério.

Imagem: ReproduçãoClique para ampliarPresidente da Agespisa Marcus Venícius Medeiros Costa(Imagem:Reprodução)Presidente da Agespisa Marcus Venícius Medeiros Costa, a indicação técnica
2. A Agespisa vai adquirir mais 16 mil hidrômetros para instalação na rede de abastecimento do Piauí. A previsão inicial era de aquisição de 60 mil hidrômetros, junto à empresa Elster Medição de Água S/A. Com isso o investimento inicial, de R$ 1,7 milhão, passa para R$ 2,1 milhões, mas serão comprados ao todo 76 mil novos equipamentos este ano. Cada hidrômetro deve sair por R$ 29,5.

Há 6 anos, a Agespisa comprou 71.00 hidrômetros a R$ 52 a unidade. A compra está sendo investigada pelo Ministério Público Federal.

Que relação tem entre um fato e outro? É que, nessa costura política do governador para agasalhar o PP em seu governo, se põe a prêmio justamente a cabeça de um técnico que conseguiu reduzir em quase 50% os custos dos hidrômetros comprados pelo governo. Ele desocupa a cadeira depois de ter feito o que todo e qualquer gestor público deve procurar fazer, quando não está em jogo a vantagem pessoal: comprar o melhor pelo preço mais baixo.
Coisas da política!

(*) Editor-chefe do Diário do Povo
Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.