Blog Opinião
GP1

Como sempre a educação brasileira é relegada


Júlio César Cardoso *

Imagem: GP1Júlio César Cardoso(Imagem:GP1)Júlio César Cardoso

Para os senhores verem como o dinheiro público é jogado fora. Agora mesmo (14), 21h10min, a Rede Globo noticiou ao país que, em Natal-RN, o ano letivo escolar encerrou-se antecipadamente por falta de verba para pagar os funcionários e professores da rede pública, deixando crianças sem aula e cooperando para a má formação do ensino nacional. Vejam a gravidade: trata-se de Educação, que continua sendo considerada, no país, como produto de segunda categoria. Uma vergonha!

A prefeitura e o governo estadual de Natal têm dinheiro para pagar os vereadores, os deputados estaduais, o prefeito, o governador e demais corpo funcional, mas as autoridades alegam não ter recursos para custear a despesa educacional de pobres meninos brasileiros de Natal. Enquanto isso, grupo de parlamentares federais – Jô Moraes (PCdoB-MG), Perpétua Almeida (PCdoB-AC) e Gonzaga Patriota (PSB-PE), gastando dinheiro público à toa, vai passear no Haiti sob desculpa esfarrapada de prestar ajuda humanitária.

Este país é complicado e não se corrige nunca. Os parlamentares deveriam se preocupar mais com a vida socioeducacional do Brasil e não com os problemas do Haiti. Esse quadro deplorável, da falta de verba para custear as despesas educacionais de Natal, tem que ser reflexionado pelos governos e Parlamento brasileiro com maturidade e seriedade.

Os nossos parlamentares têm que ficar apreensivos é com os “Haitis” brasileiros e não tratar os problemas nacionais com fingimentos e irresponsabilidades. Dinheiro o país tem de sobra, só que é muito mal administrado por governos corruptos e políticos safos. O descaso público com a educação escolar de Natal é um fato comum nas regiões brasileiras.

* Júlio César Cardoso é bacharel em Direito e servidor federal aposentado

Curta a página do GP1 no facebook: //www.facebook.com/PortalGP1

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.