Blog Opinião
GP1

A contratação de shows pelas prefeituras no Brasil

O Congresso deveria votar lei proibindo que prefeituras usem verbas públicas (dos contribuintes).

Por: Júlio César Cardoso

Servidor federal aposentado - Balneário Camboriú-SC

A propósito da polêmica envolvendo os shows do cantor Gusttavo Lima bancados por prefeituras, breves considerações.

Um país carente de necessidades básicas, onde a prioridade do emprego do dinheiro pública deveria ser em educação, saúde, segurança, habitação, saneamento básico etc., não credencia nenhuma prefeitura a gastar dinheiro do contribuinte para contratação de shows de artistas.

Onde estão os órgãos fiscalizadores, previstos no Art. 31 e § 1º da Constituição Federal, que tempestivamente não agem, ou se omitem ou fazem vistas grossas com as despesas das prefeituras com a contratação de shows? 

Quantos municípios pelo país não dispõem de hospitais para atender à sua população carente. Quantas prefeituras de pequeno porte têm arrecadação insuficiente para cobrir suas despesas básicas. E ainda assim, prefeitos irresponsáveis - porque o dinheiro não sai de seus bolsos - têm a ousadia de vir desviar dinheiro público para a contratação de eventos artísticos!

Assim, para moralização dos gastos das prefeituras e em respeito ao disposto no Art. 37 da Constituição Federal, o Congresso deveria votar lei proibindo que prefeituras usem verbas públicas (dos contribuintes) para contratação de shows.

*** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do GP1

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.