GP1

Brasil

Avião com jogadores do Palmas cai logo após decolar e mata 6 pessoas

Quatro jogadores, o presidente da agremiação, Lucas Meira, de 32 anos, e o piloto da aeronave morreram.

Um avião com parte da equipe do Palmas Futebol e Regatas, time da Série D do Campeonato Brasileio, caiu na manhã deste domingo (24), logo após decolar, no Distrito de Luzimangues, em Porto Nacional, no estado do Tocantins. Quatro jogadores, o presidente da agremiação, Lucas Meira, de 32 anos, e o piloto da aeronave morreram.

Os jogadores que morreram no trágico acidente foram: Lucas Praxedes, de 23 anos; Guilherme Noé, de 28 anos; Ranule, de 27 anos e Marcus Molinari, de 23 anos. O piloto foi identificado como comandante Wagner.

Devido ao impacto com o chão a aeronave ficou completamente destruída. Equipes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Instituto de Medicinal Legal (IML) foram acionados.

A equipe iria enfrentar o Vila Nova pela Copa Verde em Goiânia nesta segunda-feira (25). Em nota, o Palmas Futebol de Regatas lamentou a morte das vítimas e pediu orações aos familiares.

Confira a nota na íntegra:

O Palmas Futebol e Regatas vem por meio desta informar que por volta das 8h15 da manhã deste domingo, 24, ocorreu um acidente aéreo envolvendo o presidente do clube Lucas Meira, quando decolava para Goiânia, para a partida entre Vila Nova x Palmas nesta segunda, 25, válida pela Copa Verde. O avião em que Lucas estava junto com o comandante Wagner e os atletas Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, decolou e caiu no final da pista da Associação Tocantinense de Aviação. Lamentamos informar que não há sobreviventes. Neste momento de dor e consternação, o clube pede orações pelos familiares aos quais prestará os devidos apoios, e ressalta que no momento oportuno voltará a se pronunciar

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.