GP1

Brasil

Em áudio, Alcolumbre promete mesada à suposta amante do chefe do TRE-AP

O senador teria trocado favores com o desembargador Gilberto Pinheiro, presidente do TRE-AP.

Áudios obtidos pela revista Veja, divulgados nesta sexta-feira (08), indicam que o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), ex-presidente do Senado Federal, teria trocado favores com o desembargador do Tribunal de Justiça do Amapá (TJ-AP), Gilberto Pinheiro, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP).

A revista informou que o senador teria pago uma mesada a uma ex-funcionária do TJ-AP, Tatielle Pereira de Castro, a pedido do desembargador. Em troca do “favor”, a esposa de Alcolumbre foi nomeada para o TRE-AP.

Foto: Reprodução/InstagramSenador Davi Alcolumbre
Senador Davi Alcolumbre

Informações dão conta de um suposto romance entre Tatielle Pereira de Castro e o desembargador presidente do TRE. Em uma conversa gravada pela própria Tatielle, Alcolumbre citou que o valor da mesada seria correspondente ao que sua esposa, Liana Gonçalves de Andrade, iria receber como funcionária TRE-AP.

“A Liana vai ganhar 8.000 reais, só que vai descontar 27,5%. Aí, quando tu coloca na máquina, dá 6.000 reais, quando tu desconta, é o que tu recebe”, diz um trecho do áudio atribuído a Alcolumbre.

Além da mesada, a ex-funcionária do TJ-AP teria ganhado um carro após negociar com Alcolumbre, de acordo com a publicação da Veja. “Agora minha vida deu aquele 180, né? Tipo, eu não tenho família aqui, mudança de casa, sem carro, sem nada, né? (…) O desembargador ele me chamou, perguntou como é que eu tava. A preocupação dele com meu casamento. Falou: ‘Olha… eu sei que agora você está só. Eu falei: ‘Olha, desembargador, eu não sei’. Ele falou: ‘Então, vamos fazer o seguinte: você precisa de um carro’. (…) Ele inclusive falou, ele me perguntou quanto que a gente tava acertando”, disse na conversa.

“É uma boa ideia. (…) Só me dá um tempo pra mim arrumar o dinheiro”, concordou o senador no áudio.

Tatielle Pereira foi procurada pela Veja e disse não se recordar de ter conversado com Davi Alcolumbre. “O Amapá é pequeno, é natural que a gente se encontre com várias pessoas”, desconversou.

O senador, por sua vez, se pronunciou por meio de sua assessoria. “Nunca houve nenhuma relação dessa pessoa, Tatielle Pereira de Castro, com o senador”, consta na nota.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.