GP1

Brasil

FAB intercepta avião com 465 quilos de cocaína em Mato Grosso do Sul

A aeronáutica detectou voo clandestino que seguia em direção ao interior de São Paulo. Piloto foi preso.
Por Estadão Conteúdo

Dois aviões de ataque A-29 Super Tucano, da Força Aérea Brasileira (FAB), executaram na madrugada de domingo, 20, no espaço aéreo de Mato Grosso do Sul, a interceptação armada de uma aeronave Piper P-34 Sêneca que fazia um voo clandestino rumo ao interior de São Paulo. A bordo do bimotor, conduzido pelos A-29 para o aeroporto de Campo Grande, havia 465 quilos de pasta de cocaína.

A droga, avaliada em US$ 350 mil, foi apreendida pela Polícia Federal (PF). O piloto está preso sob acusação de tráfico. O Sêneca entrou no território controlado pela aviação militar vindo da linha da fronteira Bolivia-Paraguai. Não tinha identificação e estava sem plano de voo. Rastreado pelos radares de controle do tráfego e defesa, não respondeu aos chamados de rádio-comunicação.

Nessa condição passou a ser considerado intruso. Os dois Super Tucano, integrantes do Esquadrão Flecha, da base da FAB em Campo Grande, foram então acionados para a missão de interceptação. Um grande jato E-99M, do Esquadrão Guardião acompanhou a operação para vigiar a zona de atividade com sensores eletrônicos e coordenar os aviões de combate.

Quando o P-34 foi alcançado, os pilotos militares cumpriram diversos procedimentos de abordagem considerando a possibilidade de o silêncio de rádio ser consequência de uma falha no equipamento. O protocolo, para compelir o piloto interceptado a tomar o rumo determinado pelos interceptadores, obedece várias etapas -- tentativas de contato por frequências de emergência, sinalização visual, indução de direção -- e pode chegar ao recurso do tiro de advertência, quando são feitos disparos com as metralhadoras .50 do A-29 na frente da aeronave irregular.

Depois disso, se o intruso continuar ignorando as indicações, será abatido. No domingo, "não houve risco de uma medida extrema; o piloto do voo ilícito cumpriu as ordens de pronto", disse um agente da Polícia Federal envolvido na ocorrência.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2022 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.