Fechar
GP1

Brasil

EUA confirma que ex-assessor de Bolsonaro não viajou para Orlando em dezembro

O ex-assessor está preso por suspeita de participar da comitiva que viajou com o ex-presidente.

O órgão do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (USA) divulgou que a última vez em que Felipe Martins, ex-assessor de Jair Bolsonaro, esteve em solo norte-americano foi em setembro de 2022. Nos dados levantados pela Alfândega e Proteção de Fronteiras, foi apontado que a última viagem feita por Martins aos EUA tinha como destino Nova York.

Felipe Martins foi assessor para Assuntos Internacionais da presidência durante o governo de Jair Bolsonaro. Ele está preso há quatro meses, pois o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes suspeita que Martins estava na comitiva do ex-presidente que viajou para Orlando. Esse parecer do magistrado é baseado na delação do tenente-coronel Mauro Cid, mas é refutado pela defesa do ex-assessor.

Segundo os advogados de Felipe Martins, já foi atestado que ele não estava em Orlando na data informada por Alexandre de Moraes. Além disso, documentos da Alfândega, comprovantes de corridas por aplicativo e também são utilizados pela defesa para comprovar que de fato, o ex-assessor não viajou para os EUA em 30 de dezembro de 2022.

Mesmo diante dos documentos que atestam que o ex-assessor de Bolsonaro não integrava a comitiva que viajou para Orlando, o ministro do STF rejeitou o pedido de soltura em favor de Felipe Martins.


Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2024 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.