Tucanos querem peitar Firmino e lançar Luciano Nunes candidato a prefeito

- atualizado

Lideranças do PSDB que nunca ousaram questioná-lo, estão esperando apenas um sinal verde do ex-deputado estadual Luciano Nunes Filho, que foi candidato a governador no ano passado, "para colocar o seu nome na praça como candidato" mesmo sabendo que, pelo menos por enquanto, ele não é o preferido de Firmino.

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Firmino Filho e Luciano NunesFirmino Filho e Luciano Nunes

A revelação foi feita ontem pela manhã a este repórter, por dois importantes líderes políticos do PSDB, que disseram que dentro do diretório municipal de Teresina, antes controlado por Firmino Filho, existe uma rejeição muito forte à condução política de Firmino Filho.

A queda de liderança de Firmino, segundo eles, começou a partir de quando se aproximou do senador Ciro Nogueira e passou a incentivar quadros do partido a se transferirem para o Progressistas.

EXCLUSIVAS

Surpresas

Entre aqueles que estão contestando a condução do processo sucessório de Teresina por Firmino Filho, existem grandes surpresas, segundo os líderes que deram a informações pedindo discrição com relação a seus nomes.

Bater chapa

Na hipótese de Luciano Nunes decidir colocar o seu nome para a disputa de Teresina, lideranças do PSDB estão dispostas a bater chapa na convenção, no caso de o prefeito não concordar com a eventual candidatura.

Fofocas sobre Sílvio

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Silvio Mendes Silvio Mendes

Os líderes políticos que pediram discrição para este repórter, revelaram que o prefeito Firmino teria acreditado numa fofoca segundo a qual Sílvio Mendes estaria por trás da colocação do nome de Luciano Nunes para disputar a prefeitura.

Fofoca sobre Marden

  • Foto: Marcelo Cardoso/GP1Marden Menezes Marden Menezes

Os tucanos que conversaram com este repórter também revelaram que o deputado Marden Menezes, ex-presidente do partido, a exemplo de Sílvio Mendes, "foi vítima de fofoca" junto a Firmino.

"Basta de sem votos"

Pelo que revelaram os dois tucanos, as verdadeiras lideranças políticas do PSDB, estão cansadas de "engolir tantos sem votos ocupando os melhores cargos da prefeitura".

Exemplo de Berger

  • Foto: Lucas Dias/GP1Renato BergerRenato Berger

A coisa é tão consistente que foi dado o exemplo de Renato Berger, ex-presidente da Câmara Municipal de Teresina, vereador de muitos mandatos, que tem votos, mas "está jogado numa salinha da Secretaria de Planejamento do Município".

Menos de R$ 3 mil

Para os tucanos que contestam a liderança de Firmino dentro do partido, o prefeito, "por não gostar de Renato Berger", está "impondo uma humilhação ao rapaz, colocando-o numa salinha do planejamento com um contracheque menor do que R$ 3 mil".

Assassinato de reputações

Escritório no coração do Jockey Clube que se dedica a fazer armações para assassinar reputações daqueles que contestam seu chefe pode ser desmantelado mais cedo do que a arrogância de seus integrantes lhes permite admitir.

PRB quer três vereadores

  • Foto: Helio Alef/GP1Gessivaldo IsaíasGessivaldo Isaías

O pastor Gessivaldo Isaías, deputado estadual e líder maior do PRB no Piauí, revelou, ontem, que o seu partido quer eleger três vereadores em Teresina.

Cuida-te, Levino!

Único vereador do PRB em Teresina, o pastor Levino de Jesus vai continuar na sombra de Gessivaldo Isaías, mas terá que dividi-la com mais dois correligionários.

Um deles é sobrinho de Gessivaldo, rapaz altamente preparado e com vontade no corpo todo de ser vereador de Teresina.

Facínoras de sorte

  • Foto: Lucas Dias/GP1Major MayronMajor Mayron

Esses facínoras que mataram o major Mayron nasceram com muita sorte, só pode ser isso! Como é que cometeram uma verdadeira barbaridade e ainda tiveram a pena reduzida? O que é mesmo que justifica isso? Que preocupação é essa?

Que coisa!

Coisa estranha

Outra coisa estranha: um dos facínoras que mataram o major já estava com regalias na prisão. É uma coisa realmente que se deve analisar.

Atenção, major Diego!

Recomendo que a associação dos oficiais da Polícia Militar, se não tiver, crie um serviço de acompanhamento jurídico de casos como esse do major Mayron.

A mesma coisa recomenda à Associação de Cabos, soldados e sargentos. Os policiais militares precisam saber onde estão criminosos que tiraram a vida de seus colegas, especialmente daqueles que tombam no estrito cumprimento do dever.

Voltar para a home

Todo conteúdo, imagem e/ou opiniões constantes aqui neste espaço são de responsabilidade civil e penal exclusiva do colunista. O material aqui divulgado não mantém qualquer relação com a opinião editorial do GP1.

Sobre o autor

Bacharel em Direito, Feitosa Costa é jornalista desde 1977 e escreve a Coluna Política & Bastidores. Contato: (86) 98162 1515 / 99987 8114