GP1

Eleições 2020

Confira o patrimônio dos candidatos ao cargo de prefeito de Parnaíba

Para o registro da candidatura na Justiça Eleitoral, os candidatos precisam apresentar a lista dos seus patrimônios.

A cidade de Parnaíba possui quatro candidatos que disputam a prefeitura nas eleições municipais deste ano. A eleição acontece no dia 15 de novembro.

Para o registro da candidatura na Justiça Eleitoral, os candidatos precisam declarar a lista dos seus patrimônios. O candidato Dr. Hélio (PL), que é médico e deputado estadual, foi o que apresentou mais bens, no valor total de R$ 2.290.788,28 (dois milhões, novecentos e noventa mil, setecentos e oitenta e oito mil reais e vinte e oito centavos).

  • Foto: GP1/FacebookCandidatos em Parnaíba: Dr. Hélio, Mão Santa, Samaronne e Romualdo SenoCandidatos em Parnaíba: Dr. Hélio, Mão Santa, Samaronne e Romualdo Seno

Entre a lista de bens apresentadas à Justiça Eleitoral está: uma casa localizada no Morada Sol, na cidade de Teresina, que está avaliada no valor de R$ 360 mil. Ele também possui dois lotes em Luís Correia no valor de R$ 350 mil, uma casa em Parnaíba no valor de R$ 130 mil, entre outros bens.

O empresário Samaronne (PSD) também está concorrendo ao cargo de prefeito e declarou o valor de R$ 695.120 mil em bens. Entre esses bens está: uma Hilux avaliada em R$ 235 mil, e um imóvel em Parnaíba no valor de R$ 100 mil.

Na busca pela reeleição está o candidato Mão Santa (DEM), que é o atual prefeito, já foi senador e governador do Piauí. Mão Santa declarou ter R$ 431.684 mil. Entre os bens está R$ 365 mil em dinheiro que estaria em um cofre.

Também está concorrendo ao cargo de prefeito, o advogado Romualdo Seno (DC), que declarou ter R$ 380 mil em bens. Entre os bens está uma casa em Parnaíba no valor de R$ 170 mil, também tem um terreno de R$ 150 mil e um automóvel avaliado em R$ 60 mil.

Mais conteúdo sobre:

Ver todos os comentários   | 0 |

Facebook
 
© 2007-2021 GP1 - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do GP1.