Política

"A reforma do Piauí é mais severa que a nível nacional", diz Marden

Segundo o deputado, são quase 100 mil famílias que estão com as aposentadorias em cheque.

Germana Chaves
Teresina
Fábio Wellington
Teresina
Jeyson Moraes
Teresina
- atualizado

Durante entrevista ao GP1, na manhã desta segunda-feira (09), na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), o deputado estadual Marden Menezes (PSDB), criticou a reforma da Previdência proposta pelo governador Wellington Dias (PT), afirmando que o projeto é “muito mais severo e gravosa para o servidor” que a reforma do Governo Bolsonaro.

Segundo o deputado, são quase 100 mil famílias que estão com as aposentadorias em cheque. “Pessoas que antes não contribuíam vão passar a contribuir, quem já contribuía vai contribuir ainda mais. E o pior que existe uma espécie de alíquota extraordinária que o governo quer aprovar. Ela dá margem para o governo superar os 14% estabelecidos na reforma em âmbito nacional. Ou seja a reforma do Piauí é mais severa e gravosa para o servidor do que a reforma aprovada a nível nacional”, relatou o parlamentar.

  • Foto: Lucas Dias/GP1Marden MenezesMarden Menezes

Na manhã de hoje, os parlamentares da bancada de oposição Marden Meneses (PSDB), Teresa Brito (PV), Gustavo Neiva (PSB) e Lucy Soares (Progressistas), estiveram em audiência com a desembargadora Eulália Pinheiro, que é a relatora do mandado de segurança impetrado pelos oposicionistas, e que foi concedido em liminar monocrática pelo desembargador Raimundo Nonato da Costa Alencar, no plantão judiciário do Tribunal de Justiça do Piauí, neste domingo (08).

Sobre o encontro Marden Menezes elogiou o trabalho da desembargadora e revelou estar otimista com a decisão de suspender por mais tempo a votação da reforma da Previdência. “Foi uma audiência importante, a desembargadora Eulália é muito técnica, séria e equilibrada. Colocamos a preocupação de aprovar uma matéria possivelmente pela maioria do governo em duas sessões, o que não haveria as condições mínimas para entender. Ela ouviu as colocações dos deputados, com certeza pela sua história, ela sendo uma jurista técnica e qualificada, com certeza vai fazer o melhor juízo sobre o assunto. Nós temos a expectativa de que seja mantida a decisão do desembargador, mantendo a liminar, que nos dar tempo para discutir a reforma, queremos a manutenção da liminar”, explicou o deputado.

“Isso vai nos dá tempo para analisar a matéria junto com as categorias, como eu já falei são mais de 90 mil famílias, que têm interesse direto nesse projeto, nessa discussão. A assembleia não pode aprovar uma matéria que o governo federal precisou de meses, em dois dias apenas”, finalizou Marden Menezes.