Polícia

Acusado de matar piauiense no DF é indiciado por mais sete crimes

Conforme a Polícia Civil do Distrito Federal, os indícios são suficientes para comprovar que Marinésio, chamado de “maníaco em série”, atacou outras oito mulheres.

Davi Fernandes
Teresina
- atualizado

A Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) indiciou o cozinheiro Marinésio Olinto, 41 anos, acusado de assassinar a piauiense Genir Pereira, por outros sete crimes que tiveram oito mulheres como vítimas, entre os casos, o assassinato da advogada Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, que era funcionária do Ministério da Educação (MEC).

Conforme a Polícia Civil do Distrito Federal, os indícios são suficientes para comprovar que Marinésio, chamado de “maníaco em série”, atacou oito mulheres. Além desses crimes, mais quatros acusações ainda estão em investigação.

  • Foto: Arquivo PessoalLetícia Sousa e Genir PereiraLetícia Sousa e Genir Pereira

Os inquéritos foram enviados para o Ministério Público do Distrito Federal, que ainda vai decidir se o acusado vai ser denunciado. No dia 18 de setembro, Marinésio virou réu no caso do assassinato de Letícia Sousa Curado Melo, 26 anos, que trabalhava no MEC.

Na apuração do crime contra a advogada, o suspeito confessou ter assassinado a piauiense Genir Pereira de Sousa, 47 anos. O corpo da piauiense foi encontrado em estado de decomposição em um matagal na região de Paranoá, no Distrito Federal, no dia 12 de junho. Genir estava desaparecida desde o dia 2 de junho, quando foi vista pela última vez em uma parada de ônibus.

Confira as oito vítimas de Marinésio

1 – Assassinato da advogada Letícia Sousa Curado Melo, de 26 anos, em agosto.

2 – Abuso sexual contra duas irmãs, de 18 e 21 anos. Elas tiveram que usar uma barra de ferro para conseguir fugir do carro do suspeito.

3 – Uma mulher de 25 anos foi quase esganada em 2015. A vítima foi abordada próximo ao Hospital Regional de Planaltina. De acordo com os investigadores, o cozinheiro tentou esganar a vítima, mas ela conseguiu fugir. O carro do irmão do suspeito foi usado no crime.

4 – Uma mulher de 39 anos teria sido atacada entre 2013 e 2014. Em seu depoimento, ela contou que foi abordada em Sobradinho. O cozinheiro a levou ao Polo de Cinema de Sobradinho, mas a mulher conseguiu descer do carro e fugir.

5 - Uma jovem de 19 anos contou à polícia que foi abordada em 2017, no Vale do Amanhecer. Segundo os investigadores, o carro usado no crime foi um veículo preto, do irmão de Marinésio.

6 - Abuso sexual contra uma jovem de 23 anos. Ela pulou do carro em movimento para evitar ser estuprada.

7 - Uma mulher de 50 anos que foi abordada perto da região rural do Vale do Amanhecer.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Acusado de assassinar funcionária do MEC confessa que matou piauiense

Polícia encontra corpo de funcionária do MEC desaparecida no DF

Funcionária do MEC desaparece e polícia prende suspeito no DF

Piauiense que estava desaparecida é encontrada morta no DF